Beck: “Everlasting Nothing”


Com base no material entregue nas últimas semanas, a sonoridade adotada por Beck em Hyperspace (2019) parece bastante clara. Fortemente inspirado pelo pop rock produzido nos anos 1980, conceito que se reflete na própria imagem de capa do disco, o cantor e cantor estadunidense tem feito de cada nova composição a passagem para um ambiente deliciosamente nostálgico e familiar. São músicas como Saw Lightning, Uneventful Days, Hyperlife e Dark Places, canções que sintetizam de forma expressiva a estrutura adotada pata o sucessor do mediano Colors (2017).

Faltando uma semana para a entrega do novo álbum, Beck revela ao público mais uma composição inédita. Co-produzida em colaboração com o experiente Pharrell Williams, parceiro do artista em grande parte da presente obra, a nova música preserva a essência do material apresentado nas últimas semanas, porém, sutilmente resgata uma série de elementos originalmente testados pelo artista ao longo da carreira. Melodias e vozes que adaptam de forma particular o repertório entregue em registros como o premiado Morning Phase (2014) e, principalmente, Sea Change (2002),

Hyperspace (2019) será lançado em 22/11 via Capitol.


Beck – Everlasting Nothing

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.