BIKE: “Vermelho Como Brasa” / A Casa do Colapso Nascente


Pouco mais de um ano após o lançamento do terceiro álbum de estúdio da carreira, Their Shamanic Majesties’ Third Request (2018), os integrantes do grupo paulista Bike estão de volta com um novo registro de inéditas. Intitulado Quarto Templo (2019), o trabalho que conta com produção dividida entre Apollo 9 (Planet Hemp, Rita Lee) e Renato Cohen parece seguir um caminho oposto em relação aos últimos discos da banda, mudança que se reflete na psicodelia eletrônica detalhada em faixas como as já conhecidas Divinorum, O Velho Caminho das Nuvens Brancas e Fogo Anda Comigo.

A mesma proposta acaba se refletindo nas duas novas faixas do álbum, Vermelho como brasa e A casa do colapso nascente. São pouco mais de nove minutos em que os músicos Julito Cavalcante (voz, guitarra e violões), Diego Xavier (voz, guitarra, baixo e violões) e Daniel Fumega (bateria) convidam o ouvinte a se perder em um território de emanações etéreas. Versos lisérgicos que se espalham em meio a guitarras carregadas de efeitos, ruídos eletrônicos e a permanente fuga da realidade, cuidado que se reflete desde a estreia da banda, com 1943 – 17º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Brasileiros de 2015


BIKE – Vermelho como brasa / A casa do colapso nascente


One thought on “BIKE: “Vermelho Como Brasa” / A Casa do Colapso Nascente

Comments are closed.