Category Archives: Notícias

Alice Caymmi: “Rainha dos Raios”

.

Em um ano de grandes lançamentos nacionais assumidos por vozes femininas – como Caravana Sereia Bloom de Céu e Tudo Tanto de Tulipa Ruiz -, Alice Caymmi conquistou o próprio espaço ao investir em uma obra complexa, carregada de referências autorais e pequenas adaptações. Conduzido pela voz forte da cantora, neta de Dorival Caymmi, o álbum é casa de faixas imponentes como Água Marinha e Sargaço Mar, referências distorcidas dentro do novo trabalho em estúdio da artista, Rainha dos Raios (2014).

Livre do ambiente “litorâneo” retratado no disco de estreia, Caymmi passeia agora por entre diferentes gêneros musicais e adaptações particulares de músicas assinadas por outros artistas – caso de Homem de Caetano Veloso e Como Vês do grupo Tono. São nove regravações, algumas delas já conhecidas do público da cantora, como Iansã, parceria de Alice com o músico/produtor Strausz. Com lançamento pelo selo Joia Moderna e distribuição pela Tratore, Rainha dos Raios pode ser apreciado na íntegra logo abaixo.

.

Alice Caymmi – Rainha dos Raios

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , ,

Jens Lekman: “WWJD MIXTAPE”

.

Quem não gosta de Jens Lekman bom sujeito não é. Autor de um dos melhores discos da década passada – Night Falls Over Kortedala (2007) – e responsável por dois registros recentes satisfatórios – Argument with Myself EP (2011) e I Know What Love Isn’t (2012) -, o cantor e compositor sueco abre passagem para um novo registro de estúdio. Antes, porém, um resumo do que está por vir em uma mixtape que resume parte das atuais referências do músico, além, claro, de três canções inéditas.

Intitulado What Would Jens Do Mixtape – um brincadeira com a frase (em inglês) O que Jesus Faria -, o trabalho de 33 minutos é a morada de WWJD, What’s That Perfume That You Wear? e I Remember, todas criações inéditas do artista. Calcadas no Soft Rock dos anos 1970/1980, as faixas ainda seguem acompanhadas por músicas de Jhene Aiko (Stranger) e David Byrne (Theodora Is Dozing), transportando Lekman para um terreno pouco comum dentro do trabalho do músico.

.

Jens Lekman – WWJD MIXTAPE

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

Kane West: “Western Beats”

.

Comic Sans, sintetizadores galhofados e uma série de efeitos que parecem vindos do Virtual DJ. De todos os projetos lançados pelo selo PC Music até agora – e são muitos -, Kane West talvez seja o mais divertido e diferente de todos os colaboradores. Contrário do que o próprio título do projeto possa identificar, nada de Hip-Hop ou qualquer relação direta com Kanye West, apenas a mesma coleção de temas pop-plásticos das registros passados em um efeito muito mais “comercial”.

Com recortes e referências que parecem ter escapado dos anos 1980, 1990 e 2000, é possível encontrar na “mixtape” Western Beats – um compilado de sete faixas curtas – parte da essência do novo produtor – talvez o mesmo responsável por Hannah Diamond, Lipgloss Twins e demais projetos do selo. Além da audição gratuita (abaixo), no site de Kane West é possível baixar toda a seleção de faixas.

.

Kane West – Western Beats

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , ,

Slow Magic: “How To Run Away”

.

O uso de melodias sutis, bem como a explícita relação com o pop em Youth Group serviram para apontar a direção de How To Run Away (2014), mais novo lançamento do misterioso Slow Magic. Primeiro registro em estúdio do artista por um selo mediano – Downtown Records -, o trabalho previsto para o dia nove de setembro já pode ser apreciado na íntegra pelo site Hype Machine.

São dez canções típicas da sonoridade doce e letárgica projetada pelo músico, aspecto antes confirmado em músicas como Girls e Hold Still, apresentadas há poucos semanas como um preparativo para o disco. Para ouvir o álbum, basta dar um pulinho nesta playlist. Abaixo você encontra Waited 4 U, umas das canções que recheiam o sucessor do álbum de estreia de Slow Magic, lançado em 2012.

.

Slow Magic  – Waited 4 U

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

TOPS: “Picture You Staring”

.

Doce e simples. Não há definição mais honesta ao trabalho da banda canadense TOPs do que esta. Dois anos depois de ser apresentada ao público pelo disco Tender Opposites (2012), nada mais encantador do que perceber em Picture You Staring (2014), segundo registro da carreira do grupo de Montreal a mesma postura e sonoridade. Doze composições detalhadas por vozes e arranjos sempre econômicos, mas que em nenhum momento ocultam a grandeza evidente na obra do coletivo.

Também lançado pelo selo Arbutus Records – casa de Sean Nicholas Savage, Braids e outros projetos queridos aqui no Miojo Indie -, o novo álbum mantém firma a relação com a década de 1980 sem necessariamente parecer um registro datado. Referências que vão do Soft Rock ao Indie Pop canadense em meio a faixas já conhecidas, como Way to be Loved, e todo um pequeno arsenal de músicas inéditas.

.

TOPS – Picture You Staring

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , ,

Russo Passapusso: “Paraíso da Miragem”

.

Em meados de maio, quando Russo Passapusso apresentou as primeiras canções em carreira solo – Flor De Plástico e Paraquedas -, grande parte experiências reservadas ao então inédito Paraíso da Miragem (2014) pareciam prontamente anunciadas ao ouvinte. Ledo engano. Bastam alguns segundos no interior do trabalho para perceber quão amplo é o universo que passa a ser explorado pelo cantor – até então, mais conhecido pelo trabalho com o Baiana System.

Disponível para download gratuito no próprio site de Passapusso, o registro de 12 faixas é um verdadeiro agregado de sons, referências, versos e colaboradores. Com Curumin, Zé Nigro e Lucas Martins na produção, o trabalho carrega ainda a presença de BNegão, Anelis Assumpção, Marcelo Jeneci e Edgard Scandurra, responsáveis pelas rimas, vozes e sons que recheiam a obra. Abaixo é possível ouvir Anjo e Relógio, algumas das canções presentes no álbum. Acima, a capa do disco.

.

Russo Passapusso – Relógio

.

Russo Passapusso – Anjo

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , ,

Fábrica: “Dois EP”

.

Oposto ao pop-rock-Los-Hermanos do álbum de estreia, em Grão (2013) a banda carioca Fábrica conseguiu encontrar um novo e envolvendo posicionamento lírico/musical. Ainda que orientado por arranjos complexos, o trabalho, um dos 50 melhores de 2013, em nenhum momento tende ao exagero dos experimentos, mantendo firme a linha melódica inicialmente proposta por Emygdio Costa, o grande responsável pela banda.

Nada poderia ser mais satisfatório do que perceber em Dois EP (2014) a mesma sonoridade exaltada no trabalho anterior. Colaboração entre Costa e o parceiro de criação/amigo, Cadu Tenório (Ceticências, Sobre a Máquina), o pequeno registro assume em duas faixas toda a maturidade da banda. Abastecido por uma versão tímida de Vambora, da cantora Adriana Calcanhotto, o trabalho chama de fato a atenção pela sutileza de Córrego, uma criação delineada por ruídos e vozes doces, mas que resume de forma aprimorado a atual proposta da banda. Ouça abaixo.

.

Fábrica – Dois EP

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , ,

Darkside: “What They Say” e “Gone To Soon”

.

Quem já esperava ansiosamente por um novo álbum do Darkside foi surpreendido por uma triste notícia. No Twitter oficial da dupla, Nicolas Jarr e Dave Harrington anunciaram o fim da parceria, encerrando temporariamente qualquer atividade relacionada ao projeto. Com o último show agendado para o dia 14 de setembro no Brooklyn, em Nova York, os produtores se despedem revelando duas canções que acabaram de fora do ótimo Psychic, lançado em 2013.

Naturalmente imersas no mesmo ambiente sombrio do último registro, What They Say e Gone To Soon traduzem boa parte dos conceitos assinados pela dupla em mais de três anos de parcerias. Disponíveis para audição logo abaixo, as duas composições serão lançadas oficialmente como parte da coletânea WORK, do próprio selo de Jaar, o Other People. Além do álbum de 2013 e diferentes remixes, o Darkside acumula ainda um EP homônimo apresentado em 2011 e uma reedição do disco Random Access Memories Memories (2013) do Daft Punk.

.

Darkside – What They Say

.

Darkside – Gone To Soon

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , ,

Captain Murphy: “The Birth of Captain Murphy”

.

Em meados de 2012, Steve Ellison conseguiu deixar muita gente intrigada com o Captain Murphy, misterioso projeto paralelo que inicialmente manteve oculta a identidade de seu realizador. Dois anos após o surgimento do projeto e às vésperas de apresentar um novo álbum com o Flying Lotus – You’re Dead! (2014), previsto para o dia seis de outubro -, Ellison brinca com a própria criação ao contar sua origem em The Birth of Captain Murphy.

Produzida para o Adult Swim norte-americano, a animação de apenas quatro minutos mostra um grupo de jovens discutindo a origem do curioso personagem. O projeto, uma parceria entre o músico e o diretor Lilfuchs, é parte de uma nova série / especial para o canal. Além do episódio de apresentação, novos capítulos devem surgir pelas próximas semanas. Esta não é a primeira vez que Ellison se envolve em um projeto do gênero. Paralelo aos trabalhos com o Flying Lotus, o produtor californiano já foi responsável por grande parte da trilha sonora de desenhos lançados pelo canal, além de outros trabalhos relacionados ao Cartoon Network.

.

Captain Murphy – The Birth of Captain Murphy

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , ,

Rio Shock: “RIOSHOCKDOTHEVOGUE” mixtape

.

Enquanto João Brasil e os parceiros do Rio Shock não anunciam o sucessor do homônimo EP de estreia, o jeito é corre atrás de pequenas criações que carregam a assinatura do grupo carioca. Depois de convencer com ótima Rio Pump, faixa apresentada há poucos meses, agora o coletivo entrega ao público parte das próprias referências com o lançamento da mixtape RIOSHOCKDOTHEVOGUE.

Feito sob encomenda para revista VOGUE Brasil, o registro de 40 minutos mergulha de cabeça nos anos 1990, sustentando desde canções autorais do grupo carioca, até adaptações de pequenos clássicos da época. Entre músicas como Sensualizar e Surreal, do EP de 2013, Brasil abre espaço para que C+C Music Factory, Technotronic e até novatos como Disclosure ocupem o trabalho. Não por acaso a mixtape se converte na trilha sonora perfeita para salvar qualquer festa.

.

Rio Shock – RIOSHOCKDOTHEVOGUE mixtape

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , , ,