Category Archives: Singles

SZA: “Sobriety

.

Mesmo que Solana Rowe tenha explorado uma sonoridade menos complexa ao longo do primeiro álbum de estúdio como SZA, Z (2014), encarar o trabalho da artista norte-americana como “comercial” seria um erro. Pelo menos até agora. Passados alguns meses desde o lançamento do disco pelo mesmo selo de Kendrick Lamar e Schoolboy Q, o Top Dawg Entertainment, Rowe está de volta com a inédita Sobriety, uma de suas composições mais sensíveis e, pela primeira vez, talvez próxima de alcançar o grande público.

Cercada por um assertivo time de produtores, incluindo Stephen Bruner (Thundercat), responsável pelas linhas de baixo e toda a ambientação nostálgica da faixa, Rowe cresce com naturalidade. Em um universo que poderia ser de Beyoncé no álbum 4 (2011), ou mesmo Portishead no clássico Dummy (1994), SZA espalha confissões, testa os limites da própria voz e ainda seduz com facilidade o ouvinte, hipnotizado até os últimos segundos da faixa.

.

SZA – Sobriety

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , ,

Jacques Greene: “After Life After Party EP”

.

Enquanto o esperado debut de Jacques Greene não é apresentado ao público, os constantes EPs prevalecem como a principal fonte com novidades sobre produtor. Terceiro e mais recente trabalho do artista canadense em 2014, After Life, After Party segue a trilha dos antecessores On Your Side EP e Phantom Vibrate EP, transportando o ouvinte para um cenário musical tão recente, quanto característico da década de 1990.

Além da versão original e dois remixes para a faixa-título, o presente trabalho de Green conta ainda com a inédita 1 4 Me. Na primeira canção, um típico diálogo do canadense com os elementos do Future Garage e Techno. Na faixa seguinte, um trabalho atento do produtor em adaptar diferentes conceitos, batidas e vocais íntimos do R&B ao material desenvolvido desde o último ano. Com lançamento pelo selo LuckyMe Records, o registro pode ser apreciado na íntegra logo abaixo.

.

Jacques Greene – After Life After Party

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , ,

Séculos Apaixonados: “Roupa Linda, Figura Fantasmagórica”

.

O som “estranho” apresentado pela carioca Séculos Apaixonados em Refletir é Inútil e Só no Masoquismo é apenas um fragmento do material explorado em essência com Roupa Linda, Figura Fantasmagórica (2014). Primeiro registro em estúdio da banda formada por Arthur Braganti (teclado e voz), Felipe Vellozo (baixo), Gabriel Guerra (voz e guitarra), João Pessanha (bateria) e Lucas de Paiva (teclado, saxofone e voz), o trabalho de oito canções já pode ser apreciado na íntegra pelo perfil do grupo no soundcloud ou no player abaixo.

Produzido, gravado e mixado pelos próprios integrantes entre fevereiro e outubro deste ano, o romântico debut ainda conta com lançamento nacional pela Balaclava Records – casa de Holger e Câmera – e distribuição em território lusitano pelo selo português Amor Fúria. Em entrevista recente ao IG, o vocalista Gabriel Guerra – ex-Dorgas e um dos produtores do trabalho – falou um pouco sobre a sonoridade do grupo e também influências como o cantor “brega” Waldick Soriano.

.

Séculos Apaixonados – Roupa Linda, Figura Fantasmagórica

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , ,

Mauricio Avila: “Glass” e “Swell”

.

As canções de Mauricio Avila crescem dentro de uma medida própria de tempo. Batidas comportadas, sintetizadores vagarosos e toda uma atmosfera litorânea, quase “preguiçosa”, invade os fragmento sonoro assinado pelo jovem produtor. Original de Franca, interior de São Paulo, Avila pode até viver longe do litoral paulistano, entretanto, basta um mergulho nas melodias de Glass e Swell, duas de suas composições mais recentes, para que artista e ouvinte sejam logo transportados para algum cenário à beira-mar.

Ainda que “Lone, Machinedrum e Disclosure” sejam apresentados como alguns dos artistas que mais influenciam o trabalho de Avila atualmente, uma rápida visita ao soundcloud do produtor entrega com naturalidade outras referências talvez mais importantes. Com remixes para músicas de Metronomy e Vampire Weekend, não é difícil perceber de onde vem a inspiração para o som tropical incorporado em cada recente criação. Recomendado para quem já acompanha o trabalho do também brasileiro Rico ou mesmo estrangeiros a exemplo de Cashmere Cat.

.

Mauricio Avila – Glass

.

Mauricio Avila –  Swell

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

Tyler, The Creator: “Diaper”

.

Sempre produtivo em estúdio, Tyler, The Creator diminuiu o ritmo nos últimos meses. Passado o lançamento de Wolf (2013), último registro em carreira solo, além da produção/participação em algumas faixas de Doris (2013), trabalho do parceiro Earl Sweatshirt, Tyler relaxou. Salvo a constante postagem na própria conta do Twitter e, claro, diversas apresentações ao vivo, nenhuma grande composição inédita foi apresentada pelo rapper. Até agora.

Para celebrar a nova temporada de shows pelos Estados Unidos, o “líder” do Odd Future revela ao público uma faixa retirada do próprio acervo: Diaper. Lançada no Twitter e disponível para audição pelo Tumblr do OFWGKTA, a música parece seguir com naturalidade o som proposto por Tyler no último ano. Seguindo a lógica dos últimos lançamentos do rapper, o ano de 2015 não deve passar sem um novo disco ou “mínima” mixtape.

.

Tyler, The Creator – Diaper

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

Sleigh Bells: “That Did It” (Feat. Tink)

.

Em 2013 Derek E. Miller e Alexis Krauss resolveram mergulhar de vez na música pop. Ainda que os ruídos preencham toda a extensão do mediano Bitter Rivals, terceiro álbum de estúdio da dupla nova-iorquina, são os constantes diálogos com o público médio, melodias acessíveis e bases delicadas que realmente movimentam a obra. Acerto ou erro, não importa, ao lado da rapper Tink o duo apresenta a “sequência” That Did It, uma espécie de expansão do material apresentado há poucos meses.

De um lado, os ruídos característicos da guitarra de Miller, no outro, a sutileza vocal de Krauss e Tink, esta última responsável pelos instantes mais acelerados que sustentam a composição. Construída a partir de retalhos de antigas músicas do SB, That Did It foi gravada em Nova York e apresentada pelo Red Bull Sound Select. Além do registro de 2010, a dupla ainda conta com dois ótimos álbuns, Treats (2010) e Reign of Terror (2012).

.

Sleigh Bells – That Did It (Feat. Tink)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , ,

Tobias Jesso Jr.: “Hollywood”

.

Quem se encantou pelas melodias simples e essencialmente tocantes de Tobias Jesso Jr. em True Love pode celebrar. Com lançamento pelo selo True Panther – Delorean, King Krule – e produção assinada por Chet “JR” White (ex-Girls), Patrick Carney e Ariel Rechtshaid (Sky Ferreira, Haim), o aguardado debut do músico norte-americano deve chegar ao público ainda no primeiro semestre de 2015. Em um (novo) exercício de apresentação e natural aquecimento para o registro, Jesso revela agora mais uma de suas peças melancólicas: Hollywood.

Tão confessional e dolorosa quanto os últimos trabalhos do músico, a inédita criação arrasta o ouvinte por mais de seis minutos de pianos densos, voz limpa e versos que passeiam pelo cenário obscuro de Los Angeles. “I think I’m gonna die in Hollywood“, entrega o compositor em determinado momento da faixa. Na mesma trilha do Girls em Father, Son, Holy Ghost (2011) e até Radiohead na clássica Life In A Glass House - vide os instantes finais da música -, Jesso parece resumir as principais referências do material que vem produzindo há meses tanto dentro como fora de estúdio.

.

Tobias Jesso Jr. – Hollywood

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , ,

Perfume Genius: “Thing”

.

O ambiente sombrio e confessional explorado por Mike Hadreas no decorrer de Too Bright (2014) está longe de chegar ao fim. Em um exercício de continuação do material apresentado ao público há poucos meses, o músico norte-americano mergulha ainda mais fundo nos próprios medos, solucionando a base para apresentar a inédita Thing, uma das peças que acabaram de fora da edição final do terceiro álbum como Perfume Genius.

Entre pianos arrastados e sintetizadores obscuros que incorporam lentas variações do drone, Hadreas não poupa esforços para assustar o ouvinte. Harmonias sujas que lembram o trabalho de The Haxan Cloak, a voz (incialmente) minimalista do cantor, ruídos que lembram pássaros ou mesmo pessoas cantarolando ao fundo da criação. Como nas canções do último disco, Hadreas primeiro espalha as peças, montando cada fragmento lentamente.

.

Perfume Genius – Thing

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

Charli XCX: “Gold Coins”

.

Embora cercada por nomes como Cashmere Cat, Ariel Rechtshaid e Rostam Batmanglij (Vampire Weekend), grande parte do material desenvolvido por Charli XCX para Sucker (2014) conta com a produção e interferência do músico sueco Patrik Berger. Velho conhecido de veteranas como Robyn ou mesmo de artistas recentes, caso de Icona Pop e Lana Del Rey, Berger vem colaborando com XCX desde a breve parceria em You’re the One de True Romance (2013), sendo o principal parceiro da cantora na recém-lançada Gold Coins.

Perfeita representação das guitarras que acompanham a artista desde o primeiro álbum, a nova faixa soa tão íntima do último trabalho de XCX como do ainda quente Night Time, My Time (2013) de Sky Ferreira. Com previsão de lançamento para o dia 16 de dezembro, Sucker conta com lançamento pelos selos Asylum, Atlantic e Neon Gold. Ouça a nova música:

.

Charli XCX – Gold Coins 

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

Giorgio Moroder: “74 is the New 24″

.

Primeiro Giorgio Moroder desfilou ao lado do Daft Punk em Random Access Memories (2013). Depois, foi a vez do produtor remixar o trabalho do Haim na dançante versão de Falling e até presentar velhos ou mesmo novos seguidores com a inédita Giorgio’s Theme, uma das composições da série 2014 do Adult Swim Singles. Com tamanha euforia e destaque em cima do trabalho do artista italiano – um dos pioneiros da música eletrônica -, era natural que Moroder logo surgisse com um novo registro de inéditas.

Anunciado para 2015 pelo selo RCA, o primeiro registro solo do produtor em mais de 30 anos conta com lançamento previsto para o outono brasileiro e um time variado de colaboradores. De um lado, nomes de peso da música pop como Sia, Britney Spears e Kylie Minogue, no outro, artistas em ascensão como Charli XCX e Mykki Ekko. Para apresentar o novo registro, Moroder entregou ao público a “inédita” 74 is the New 24, uma natural variação do último single lançado dentro da compilação do Adult Swim.

.

Giorgio Moroder – 74 is the New 24

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , ,