Category Archives: Singles

Cícero: “A Praia”

11059925_807301959354125_6903081965675244295_n

.

Quando Canções de Apartamento apareceu em meados de 2011, acompanhado de um email de Cícero, talvez fosse impossível prever o sucesso e rápido crescimento no número de seguidores em torno da obra do músico carioca. Mesmo com a parcial divisão de público e crítica durante o lançamento de Sábado, em 2013, a busca por novas referências líricas e instrumentais continua a servir de base para o trabalho do artista, mais uma vez “transformado” no interior de A Praia (2015), terceiro registro de inéditas em carreira solo.

Tão econômico quanto o antecessor, o presente álbum busca conforto em dez faixas curtas, pouco mais de 30 minutos de duração. A diferença em relação ao instável disco entregue há dois anos está no reforço das ambientações eletrônicas, além do natural regresso e uso constante de temas festivos, típicos do primeiro álbum solo do cantor. Lançado de forma independente, A Praia, assim como os dois últimos registros de Cícero, pode ser baixado gratuitamente no site do músico.

.

Cícero – A Praia

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , ,

Jamie XX: “Loud Places” (Ft. Romy Madley-Croft)

.

Jamie Smith não poderia ter escolhido melhor forma para iniciar (oficialmente) o primeiro álbum em carreira solo do que ao lado Romy Madley-Croft. Parceira de banda no The XX, a cantora e compositora britânica é a responsável pelos versos e vozes de Loud Places, primeira composição escapar de In Colour (2015), o aguardado debut do produtor. Em uma primeira audição, apenas uma possível sobra do último álbum do trio, Coexist (2012). Entretanto, bastam os samples, ou mesmo o jogo de batidas na segunda metade da faixa para perceber a identidade do londrino.

Do coro de vozes que parece vindo da década de 1970, aos pianos sutis, típicos dos primeiros singles de Smith, cada instante dentro da composição reforça conforto, ambientando o ouvinte ao universo autoral de XX. Difícil não se emocionar quando as palmas crescem, a voz de Madley-Croft deixa de parecer um sussurro e a guitarra se perde em um loop hipnótico, cercado pelos efeitos eletrônicos do produtor. Apresentada pela DJ Annie Mac, a faixa logo contou com um novo acréscimo dentro da mesma sessão, Gosh – pule para 24 minutos.

Com lançamento previsto para junho de 2015, In Colour conta com distribuição pelos selos XL e Young Turks.

.

Jamie XX – Loud Places

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , ,

Toro Y Moi: “Run Baby Run”

.

Pouco parece sobrevivido da obra de Chaz Bundick em Causers of This (2010), primeiro álbum como Toro Y Moi. A julgar pelo som pop, acessível e intenso promovido desde o lançamento de Empty Nesters, há poucos meses, cada vez mais o músico norte-americano parece em busca do grande público, o que faz de What For? (2015), quarto registro em estúdio dentro do mesmo projeto como a última pá de terra nas ambientações letárgicas, típicas da Chillwave, que marcaram os anos iniciais do artista.

Mais recente lançamento de Bundick, Run Baby Run nasce como um reforço ao som cativante que deve movimentar todo o quarto álbum do músico. Poderia ser Teenage Fanclub, Kinks ou qualquer outro artista “especializado” na construção de temas pop, entretanto, é o mesmo responsável pelo soul-funk sujo de Underneath the Pine (2011) e pelos flertes com o Hip-Hop em Anything in Return (2013). Não desagrada, entretanto, a estranheza é inevitável quando voltamos os ouvidos para o passado recente do Toro Y Moi. Que venha o novo disco.

Com lançamento pelo selo Carpark, What For? estreia no dia sete de abril.

.

Toro Y Moi – Run Baby Run

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , ,

Godspeed You! Black Emperor: “Asunder, Sweet and Other Distress'”

.

Passado o hiato de uma década que separou Yanqui U.X.O. (2002) e ‘Allelujah! Don’t Bend! Ascend! (2012), os membros do Godspeed You! Black Emperor seguem inspirados, apresentando ao público mais um novo registro de inéditas: Asunder, Sweet and Other Distress’ (2015). Dotado de quatro composições extensas, a presente obra, quinta na discografia da banda, segue a trilha dos últimos registros, intercalando instantes de calmaria e atos orquestrais grandiosos, naturalmente típicos do grupo canadense.

Com distribuição (física) prevista para o dia 31 de março pelo selo Constellation, casa do coletivo de Montreal desde os primeiros registros, o recente trabalho já pode ser apreciado na íntegra pelo Soundcloud da gravadora. Para quem acompanha o grupo desde os clássicos F♯ A♯ ∞ (1997) e Lift Your Skinny Fists Like Antennas to Heaven (2000), os mais de quarenta minutos do novo álbum não devem decepcionar. Ouça:

.

Godspeed You! Black Emperor – Asunder, Sweet and Other Distress’

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , ,

Tei Shi: “Go Slow”

.

A passagem de Valerie Teicher para um ambiente típico do R&B/Soul dos anos 1980 em Bassicaly parece servir de estímulo para todo o recente arsenal da cantora nova-iorquina. Com o novo trabalho do Tei Shi a caminho, Verde EP (2015), a jovem não apenas garante continuidade ao som produzido nos últimos meses, como ainda encontra uma passagem segura para o material desenvolvido no (ótimo) primeiro EP da carreira, Saudade, lançado ainda em 2012.

Fragmento mais recente a escapar do novo registro, Go Slow revela todo o arsenal de referências da artista – sejam elas atuais ou resgatadas dos primeiros anos dentro do Tei Shi. Esculpida pelos vocais de Teicher, a composição parece se encaminhar para um terreno etéreo, entretanto, logo é puxada de volta pela cantora, para “o chão”. Um tecido delicado de pianos, guitarras que tropeçam na obra de Blood Orange, mas sem escapar da confessa influência da musicista pelo trabalho de St. Vincent – principalmente nos últimos discos.

Verde EP conta com lançamento previsto para o dia 14 de abril.

.

Tei Shi – Go Slow

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , ,

Torres: “Sprinter”

TORRES-sprinter-1500x1500-560x560

.

O sofrimento existe por um motivo muito claro: servir de inspiração para o trabalho da norte-americana Torres. Na trilha do homônimo álbum de estreia apresentado em janeiro de 2013, a cantora e compositora de Nashville reserva para o dia cinco de maio a chegada de Sprinter (2015), o segundo projeto da carreira e primeiro lançado sob os cuidados de um selo, o Partisan Records. Como aquecimento para disco – trabalho que conta com a presença de Adrian Utley (Portishead) -, nada melhor do que a faixa-título da obra.

Sempre confessional, valorizando as nuances da própria voz, Mackenzie Scott ocupa os quase cinco minutos da peça em meio a guitarras levemente distorcidas e batidas precisas. Atos climáticos que remetem ao trabalho de PJ Harvey, voz doce, típica de Annie Erin Clark nos primeiros anos como St. Vincent, além de todo um arsenal de referências do Alt. Country recheiam a criação, uma das mais complexas já assinadas pela musicista.

Sprinter (2015) estreia no dia cinco de maio pelo selo Partisan.

.

Torres – Sprinter

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , ,

Hudson Mohawke: “Very First Breath” (Feat. Irfane)

.

Ainda que o trabalho de Hudson Mohawke e Lunice esteja com as atividades (temporariamente) suspensas no projeto TNGHT, em se tratando da carreira solo de cada produtor, a atividade continua intensa. Seis anos depois de apresentar o primeiro álbum de estúdio, Butter (2009), Mohwake reserva para o dia 16 de junho o lançamento do inédito Lantern (2015), primeiro (grande) registro de inéditas depois de um hiato de seis anos e segundo álbum dentro do selo Warp.

Anunciado há poucas semanas, junto da extensa turnê do produtor pelos Estados Unidos e Europa, o novo álbum acaba de ter o primeiro single entregue ao público. Mais “leve” em relação aos beats assinados com o parceiro do TNGHT, o uso de sintetizadores carregados de efeitos, além da voz precisa do convidado Irfrane, fazem de Very First Breath uma das criações mais acessíveis do artista escocês, em essência íntimo das mesmas colagens robóticas de Calvin Harris e outros produtores comerciais da cena britânica recente.

Lantern (2015) estreia no dia 16 de junho pelo selo Warp.

.

Hudson Mohawke – Very First Breath (Feat. Irfane)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

Blur: “Lonesome Street”

.

As pistas deixadas pelo Blur em Go Out parecem servir de base para todo o restante do novo trabalho da banda britânica. Assim como no primeiro single de The Magic Whip (2015) – oitavo álbum de estúdio do grupo e primeiro lançamento de inéditas desde o “derradeiro” Think Tank (2003) -, com a inédita Lonesome Street o quarteto londrino encontra no uso das guitarras sujas e pequenos encaixes melódicos a inspiração, reforço e natural movimento para os versos.

Faixa de abertura do novo disco, a recém-lançada composição passeia entre os anos iniciais do Blur, durante a fase Modern Life Is Rubbish (1993), ao mesmo tempo em que encontra um novo condimento na melancolia e tom sujo do clássico 13, lançado em 1999. Difícil não perceber a herança de bandas como The Beatles e outros veteranos da década de 1960 nos instantes finais da canção, principalmente quando vozes em coro, guitarras e arranjos “de cordas” se movimentam de forma coesa.

The Magic Whip (2015) estreia no dia 27 de abril pelo selo Parlophone.

.

Blur – Lonesome Street

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , ,

Shamir: “Call It Off”

.

O cruzamento (pop) entre diferentes gêneros e tendências musicais parece ser a chave para o trabalho de Shamir. Assim como no trabalho apresentado em 2014 com a pegajosa On The Regular, batidas eletrônicas, flertes com o Hip-Hop e diferentes campos da música pop se encontram de acordo com a voz versátil do artista – ora acomodado em pequenos falsetes, ora concentrado no uso de rimas velozes, sempre dançantes. O mesmo fenômeno se repete com a chegada de Call It Off.

Mergulhada em um oceano de referências Disco, além de flertes com os últimos trabalhos do The Rapture e Scissor Sisters, a inédita criação se concentra no uso de um refrão direto, sintetizadores grudentos e toda uma base ascendente que mantém o ouvinte atento até os últimos segundos da faixa. Assim como no clipe de On The Regular, a relação de Shamir com a imagem se mantém assertiva, princípio para as imagens e até fantoches utilizados pelo diretor Philip Hodges.

A canção é parte do debut Ratchet, previsto para o dia 19 de maio pelo selo XL.

.

Shamir – Call It Off

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , ,

Davis: “Repique EP”

Foto-davis

São Paulo vive uma onda forte de produtores de diversos estilos, sempre criativos e abusados, mas devemos destacar o pessoal que vem produzindo sons com batidas 4X4, principalmente a união desses produtores como os coletivos e festas: Brazilian Disco Club, Gop Tun, Selvagem, Dusk entre outros. Mas existe um produtor que vem já algum tempo mostrando faixas energéticas e extravagantes, com um toque próprio dentro da cena, o nome a ser lembrado é Davis Genuino.

Dj e produtor paulistano, Davis é residente na noite Freak Chic do clube D-Edge em São Paulo, do Warung Club em Itajaí e da festa multidisciplinar Laço. Ele também é integrante do projeto The Drone Lovers ao lado de Pedro Zopelar e da vocalista Érica Alves, no qual lançou recentemente um ep pelo selo Ganzá, da plataforma Skol Music, e em breve lançaram seu disco de estreia. Mas em sua carreira solo o cara já lançou muita coisa boa, por diversos selos renomados, agora acaba de lançar seu novo trabalho, trata-se do Repique EP.

O pequeno disco trata de formal natural e hibrida, musicas que passeiam pelo universo da house e disco music. O trabalho tenta transmitir momentos de Introspecção e escapismo, assim como uma excelente energia, conseguindo o resultado no ponto certo. Repique sai as ruas pelo selo paulistano Paunchy Cat Records, contendo quatro faixas que estão disponíveis no soundcloud do selo.

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , ,