Desde o último ano, os integrantes da Luziluzia vem trabalhando em uma série de três EPs marcados pela experimentação. Intitulado EP 1​/​3 (concerto pra caixas pequenas), o registro de quatro faixas – uma delas com mais de 11 minutos –, se espalha em meio a ruídos, vozes desconexas e ambientações caseiras, sujas, proposta que volta a se repetir dentro do segundo e mais recente trabalho da banda: EP 2​/​3 (autofarra – trilha pra uma festa boa) (2017).

Em um intervalo de apenas cinco faixas – Caverninha, Provador, Temporada 2014, Love co n5 e Rufião, à espera da festa boa –, a banda forma por integrantes do Boogarins e Carne Doce parece jogar com o uso de fragmentos musicais vindos de diferentes sessões. Retalhos musicais que se completam com o uso de temas eletrônicos. Assim como o trabalho lançado pela banda em 2016, o novo EP pode ser baixado gratuitamente no perfil da Luziluzia no Bandcamp.

 

Luziluzia – EP 2​/​3 (autofarra – trilha pra uma festa boa)

Continue Reading "Luziluzia: “EP 2​/​3 (autofarra – trilha pra uma festa boa)”"

 

Um dos nomes no atual comando da DFA Records – casa de projetos como LCD Soundsystem, Hot Chip e The Rapture –, Kris Peterson é quem assume a curadoria da recém-lançada coletânea Lives Through Magic (2017). Trata-se de um registro produzido para arrecadar dinheiro às vítimas do incêndio ocorrido em dezembro do último ano na casa de shows Ghost Ship, em Oakland, nos Estados Unidos. Uma seleção com mais de 40 nomes da música eletrônica/alternativa mundial.

Entre os nomes convidados a integrar o projeto, artistas como a cantora Róisín Murphy, a dupla de música eletrônica YACHT, o músico Helado Negro e outros representantes de peso da produção norte-americana. Com distribuição em formato físico e digital, o trabalho acaba de ter algumas de suas canções apresentadas ao público no bandcamp. É o caso de Julia, uma curiosa parceria entre os produtores Owen Pallet e Daphni, um dos projetos paralelos de Dan Snaith do Caribou.

 

Daphni & Owen Pallett – Julia

Continue Reading "Vários Artistas: “Lives Through Magic”"

 

Originalmente concebidas durante as sessões que resultaram no derradeiro Blackstar – 6º lugar na nossa lista dos 50 Melhores Discos Internacionais de 2016 –, as inéditas No Plan, Killing A Little TimeWhen I Met You acabam de ser agrupadas em um novo trabalho de David Bowie: No Plan EP (2017). Com produção de Tony Visconti, parceiro de longa data do músico britânico, o registro ainda chega acompanhado de Lazarus, uma das principais canções do último álbum do camaleão do rock.

Como indicado durante o lançamento de Killing a Little Time, em outubro do último ano, as três “novas” composições seguem de perto a trilha deixada por Bowie e seus parceiros de estúdio. Um som essencialmente melancólico, intimista e recheado por ambientações típicas do jazz. Para a divulgação do trabalho, o diretor Tom Hingston, artista que já trabalhou com nomes como Massive Attack, foi convidado a produzir um lyric video para No Plan.

 

David Bowie – No Plan EP

Continue Reading "David Bowie: “No Plan EP”"

 

Original da cidade de Porto Alegre, De Repente, Vivo é um projeto de música instrumental comandado pelo músico Juliano Lacerda. Com um EP homônimo entregue ao público em 2015, o artista gaúcho acaba de finalizar o inédito Idealizações e Contratempos Que Resultam Em Música (2017). Uma delicada seleção com oito faixas capazes de dialogar com o que há de mais sutil no rock instrumental/pós-rock, esbarrando no mesmo universo de artistas como Explosions in the Sky.

Entre as referências apontadas por Lacerda, nomes como Brian Eno, Trent Reznor (Nine Inch Nails) e David Lynch. Nomes e referências que surgem com naturalidade em músicas como a minimalista Se o Sol Não Nos DeixarAté o Outono Aparecer. Disponível para download gratuito pelo Bandacamp, o trabalho ainda pode ser apreciado em outras plataformas, como no souncloud do músico. Para mais novidades sobre o artista, basta seguir o perfil no Facebook.

 

De Repente, Vivo – Idealizações e Contratempos Que Resultam Em Música

Continue Reading "De Repente, Vivo: “Idealizações e Contratempos Que Resultam Em Música”"

 

Casa de alguns dos projetos mais interessantes (e barulhentos) da cena nacional, o selo paulistano Sinewave acaba de anunciar a chegada de mais uma edição da clássica coletânea Sinewave Essentials. Trata-se de um resumo caótico de tudo aquilo que os produtores, músicos e artistas relacionados ao coletivo produziram entre janeiro e dezembro deste ano. Uma extensa seleção com 25 composições já conhecidas do público.

Entre as canções que abastecem o álbum, experimentos como Music For Airports (Airplanes, Hope And Sadness), do carioca Cadu Tenório, e Baião de Stoner, parte do último disco da Macaco Bong. Ambos os trabalhos fazem parte da nossa lista dos 50 Melhores Discos Nacionais de 2016. A seleção ainda conta com outros destaques, caso da hipnótica Peixe Voador, criação recente do grupo pernambucano Kalouv e faixa que chegada acompanhada com um dos melhores clipes do ano.

 

Vários Artistas – Sinewave Essentials – The Best of 2016

Continue Reading "Vários Artistas: “Sinewave Essentials – The Best of 2016”"

 

Pouco mais de um ano após o lançamento do segundo álbum em carreira solo, Inverno (2015), o cantor e compositor Marcelo Perdido está de volta com um novo registro de inéditas. Reflexo da mudança do artista para Portugal, Bicho (2016) entrega ao público uma sequência de faixas marcadas pela transformação, despedida e saudade. Um repertório econômico, apenas dez composições que rapidamente transportam o ouvinte para dentro do universo particular de Perdido.

Além da psicodélica Muda, composição entregue ao público há poucas semanas, o trabalho ainda conta com uma sequência de faixas como a delicada (e descritiva) Passarinha, música que flutua entre o romantismo e fragmentos do cotidiano. Sobram ainda canções aos moldes de Primavera em Mim, parceria com João Erbetta, e a caseira Empate, música assinada em parceria com o lusitano Filipe Sambado, também produtor do álbum.

 

Marcelo Perdido – Bicho

Continue Reading "Marcelo Perdido: “Bicho”"

rp_The-Weeknd-Starboy-1474474721-compressed1-1474515866-compressed.jpg

 

Pouco mais de um ano após o lançamento do álbum  Beauty Behind the Madness – 43º lugar na nossa lista dos 50 Melhores Discos Internacionais de 2015 –, Abel Tesfaye está de volta com um novo álbum do The Weeknd. Em Starboy (2016), o cantor e produtor canadense segue exatamente de onde parou há poucos meses, presenteando o público com uma verdadeira seleção hits. Versos românticos, sedutores e sombrios que se dividem entre o Pop e o R&B.

Entre as 18 composições do trabalho, nomes como Kendrick Lamar, Future, Lana del Rey e os franceses do Daft Punk, dupla responsável pela produção não apenas da faixa-título do disco, mas da ótima I Feel It Coming. Entre os produtores/letristas do disco, nomes como Cashmere Cat e Benny Blanco, em True Colors, vozes de Sam Smith em Sidewalk e a presença de veteranos, como Diplo, um dos responsáveis por Nothing Without You.

 

The Weeknd – Starboy

Continue Reading "The Weeknd: “Starboy”"

 

Poucos dias após o lançamento da dobradinha formada pelo som cósmico de Dream e Ache, é chegada a hora de ter acesso ao primeiro disco da nova-iorquina DÆVA: Beta Persi (2016). Com distribuição pelo selo independente Furious Hooves, o trabalho de apenas dez faixas mostra todo o cuidado da jovem cantora e produtora na construção dos arranjos, melodias e vozes que se espalham durante toda a formação do delicado registro.

Além das duas canções já conhecidas, a estreia de Gigi Mead ainda reserva algumas surpresas. É caso de faixas como a econômica Drown, música que soa como uma adaptação pop do som produzido por artistas como Grouper e Julianna Barwick. Com referências ao seriado Arquivo X, o trabalho parece seguir a trilha dos primeiros inventos autorais da canadense Grimes, além, claro, de projetos como o Blue Hawaii e o som empoeirado do Houses.

 

DÆVA – Beta Persi

Continue Reading "DÆVA: “Beta Persi”"

 

Escorpião (2016), esse é o título do segundo e mais recente álbum da dupla Godasdog. Projeto dividido entre Victor Meira (vocalista da Bratislava) e o produtor musical Adam Matschulat, o trabalho de apenas oito faixas chega para ocupar o espaço do álbum Hoje (2013), primeiro registro de inéditas da dupla. Melodias eletrônicas, batidas e vozes esculpiadas à distância, aproximando Meira, morador da cidade de São Paulo, de Matschulat, residente na Inglaterra.

Entre as composições do disco, faixas como Infância, montada a partir de retalhos musicais da década de 1990 – como a música de abertura do desenho Yu Yu Hakusho –, além de outras como a frenética Espera, um jogo de vozes e batidas eletrônicas instáveis. Assim como o álbum entregue ao público há três anos, Escorpião pode ser baixado gratuitamente no perfil da dupla no Bandcamp. O espaço ainda conta com outros singles, remixes e EPs também produzidos pelos músicos.

 

Godasdog – Escorpião

Continue Reading "Godasdog: “Escorpião”"

 

Poucas semanas após o lançamento do single Belo Horizonte, o cantor e compositor Pedro Flores entrega ao público o primeiro grande álbum da carreira. Autointitulado, o registro que conta com distribuição pelo selo/coletivo Geração Perdida – casa de artistas como Lupe de Lupe, Jonathan Tadeu e Rio Sem Nome –, mostra a relação do artistas mineiro com a música caipira de raiz, conceito explícito em cada uma das oito faixas do trabalho.

Claramente influenciado pelo som do grupo paranaense Charme Chulo, além, claro, de grandes nomes do folk norte-americano da década de 1960, Flores faz de cada canção ao longo do disco um olhar detalhado sobre o presente. Versos meio cantados, meio declamados que exploram diferentes aspectos da cultura brasileira (Sangue Brasileiro), mergulham em temas existencialistas (Tempo que Passa) e canções intimistas (Eu Nunca Quis).

Pedro Flores – Pedro Flores

Continue Reading "Pedro Flores: “Pedro Flores”"