Criolo: “Fellini”


Sistema Obtuso ainda nem esfriou e o rapper Criolo já está de volta com mais uma composição inédita. Em Fellini, o artista paulistano segue de onde parou há poucas semanas, mergulhando na composição de um material marcado pela crueza dos versos e fluidez imediata das batidas. “2020 afogando os Nazi / Eu nem sou violento, nem quero ser / Entrada de ano trocando no asfalto / Se tiver de palio vai morrer“, rima com urgência enquanto Neguim Beats (Filipe Ret, Nill) e a dupla DKVPZ (Baco Exu do Blues, BK) assumem as batidas da canção, potencializado a força dos versos.

Nos últimos meses, Criolo tem se mostrado bastante ativo dentro de estúdio. Depois de colaborar com Milton Nascimento, em Existe Amor (2020), o rapper paulistano foi convidado a colaborar com Gal Costa no projeto Gal 75 (2021), onde revisita o clássico Paula e Bebeto, do próprio Nascimento. Dono de uma sequência de obras importantes para a música brasileira na última década, caso de Nó Na OrelhaConvoque Seu Buda (2014), o artista lançou o último trabalho de estúdio há quatro anos, Espiral de Ilusão (2017), obra em que se entrega ao samba e revelou músicas como Menino Mimado.


Criolo – Fellini