"#1"

Ano: 2015
Selo: MonoStereo
Gênero: Pop, Eletrônica, Dance
Para quem gosta de: MC Tha e Gaby Amarantos
Ouça: Chuva, A Cidade e Insight
Nota: 8.5

Crítica | Jaloo: “#1”

Cria da internet, Jaloo passou os primeiros anos da carreira mergulhado na composição de versões tropicais para o trabalho de diferentes nomes da música pop, como Miley Cyrus, Lykke Li e Rihanna. Entretanto, foi com o lançamento do primeiro álbum de estúdio da carreira, #1 (2015), que o cantor, compositor e produtor paraense alcançou uma parcela maior do público. Produto das experiências, sentimentos e desilusões amorosas vividas pelo artista, o trabalho marcado pela versatilidade dos sintetizadores encontra na profunda honestidade dos versos um componente de imediato diálogo com o ouvinte. “Ah! Dor! / Não me deixe, eu lhe imploro, fica / Me envolve, me conforta, fixa / Ah! Dor! / Você foi só o que restou em mim / É o que me faz ser vivo sem você aqui“, confessa na amarga Ah! Dor!, música que sintetiza o lirismo melancólico que se faz evidente em outros momentos da obra, como Insight, Last Dance e a derradeira Adeus.

Claro que isso não interfere na busca do artista por novas possibilidades e referências temáticas. É o caso do pop político de A Cidade. Bem-sucedida colaboração com MC Tha, a faixa vai do caos urbano (“É fácil se emocionar / Com mundo internacional / Mas na esquina de casa / Mendigo mora em jornal“) à realidade cenográfica das redes sociais (“A moda é ser repulsa / Eu te amo online / E te ignoro na rua“) de forma sempre provocativa, como uma fuga breve do restante da obra. Surgem ainda preciosidades como Pa Parará, Odoiá (In Your Eyes) e a densa Chuva. Canções em que o produtor paraense brinca com a força de própria identidade criativa, conceito que vai do uso de referências religiosas à inserção de ritmos pouco usuais. Um rico catálogo de ideias que ultrapassa os limites de estúdio e se reflete na fina identidade visual do encarte e toda a sequência de vídeos cuidadosamente trabalhados como complemento à obra.



Este texto faz parte da nossa lista com Os 100 Melhores Discos Brasileiros dos Anos 2010 que será publicada ao longo das próximas semanas. São revisões mais curtas ou críticas reescritas de alguns dos trabalhos apresentados ao público na última década. Leia a publicação original.