"Sonhando Devagar"

Ano: 2011
Selo: Coqueiro Verde
Gênero: Experimental, Jazz, Pop
Para quem gosta de: Domenico Lancellotti e Moreno Veloso
Ouça: Potássio e Calça de Ginástica
Nota: 9.0

Crítica | Kassin: “Sonhando Devagar”

Sonhando Devagar é uma verdadeiro delírio transformado em música. Nascido dos sonhos (e pesadelos) vividos pelo carioca Alexandre Kassin, produtor que já trabalhou com nomes como Los Hermanos, Mallu Magalhães e Vanessa da Mata, o trabalho que flutua entre o pop, o samba, o jazz, o soul e a música eletrônica encontra nas melodias empoeiradas dos anos 1970 um precioso elemento de conexão entre as faixas. Instantes em que o também integrante do +2, projeto em parceria com Moreno Veloso e Domenico Lancelotti, explora a essência de Marcos Valle e outros veteranos da música brasileira de forma sempre autoral, brincando com as possibilidades e pequenas corrupções estéticas dentro de estúdio.

O resultado desse criativo jogo de ideias está na entrega de faixas como a jazzística Mundo Natural, o pop provocante que borbulha em Calça de Ginástica, música que soa como a criação de um Guilherme Arantes safado, além do synthpop frenético de Sorver-te, colorido registro que sustenta no jogo de palavras o principal componente para o fortalecimento dos versos. Variações instrumentais que costuram passado e presente de forma pouco usual, sempre inexata, estrutura que viria a orientar o trabalho do artista não apenas na coletânea de remixes lançada no ano seguinte, mas, principalmente, no também curioso Relax (2018), entregue ao público anos mais tarde.



Este texto faz parte da nossa lista com Os 100 Melhores Discos Brasileiros dos Anos 2010 que será publicada ao longo das próximas semanas. São revisões mais curtas ou críticas reescritas de alguns dos trabalhos apresentados ao público na última década. Leia a publicação original.