Cut Copy: “Cold Water”


Longe dos temas dançantes que marcam os primeiros trabalhos de estúdio, os integrantes do Cut Copy parecem investir em uma sonoridade cada vez mais introspectiva. Ou pelo menos é isso que as recentes Love Is All We Share e Cold Water parecem indicar. Ponto de partida para o sexto trabalho de estúdio da banda australiana, Freeze, Melt (2020), ambas as canções estabelecem no uso atmosférico dos sintetizadores a passagem para um território de reverberações contidas, versos intimistas e instantes de doce melancolia que refletem uma série de mudanças na vida do líder Dan Whitford.

Formado no início dos anos 2000, na cidade de Melbourne, na Austrália, o Cut Copy talvez seja um dos nomes mais importantes e influentes da produção eletrônica nas últimas duas décadas. Depois de estrear com o nostálgico Bright Like Neon Love (2004), obra inspirada pelo pop dos anos 1980, o grupo, completo pelos músicos Tim Hoey, Mitchell Scott e Ben Browning, trabalhou nas gravações dos cultuados In Ghost Colours (2008) e Zonoscope (2011). A banda conta ainda com o bom Free Your Mind (2013), registro inspirado pela cena eletrônica dos anos 1990, e Haiku From Zero (2017).


Freeze, Melt

01 Cold Water
02 Like Breaking Glass
03 Love Is All We Share
04 Stop, Horizon
05 Running In The Grass
06 A Perfect Day
07 Rain
08 In Transit

Freeze, Melt (2020) será lançado em 21/8 via Cutters Records / The Orchard.



Cut Copy – Cold Water

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.