""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “A Coruja e o Coração”, Tiê

Tiê
Brazilian/Indie/Folk
http://www.myspace.com/tiemusica

Por: Cleber Facchi

Seria um grande erro (talvez até burrice) acreditar que Tiê repetiria o mesmo sentimento e a instrumentação angustiante de Sweet Jardim (2009) em seus seguintes lançamentos. O nascimento da filha, a expansão de sua carreira ao longo desses dois anos, seu bem frequentado círculo de amizades e diversos outros fatores separavam a bela paulistana do mesmo panorama a que se restringia seu álbum de estreia. Bem humorada, radiante e cercada de uma musicalidade ausente de minimalismos a cantora volta renovada em A Coruja e o Coração (2011).

São diversos os elementos que perpassam esse novo registro, talvez um dos mais latentes (ou pelo menos o mais peculiar) é o da Tiê interprete. Começa com a versão adocicada de Só Sei Dançar Com Você, clássico mais do que recente lançado por Tulipa Ruiz no ainda fresco Efêmera (2010). O banjo, os teclados e uma leve alteração no ritmo, tornando-a mais veloz funciona de maneira bem conduzida nos vocais da musicista. Mais à frente chega a também excelente versão de Mapa-Múndi, fruto original de Thiago Pethit em seu comportado Berlim, Texas (2010). Vem até uma divertida variante de Você Não Vale Nada (“mas eu gosto de você”) de Dorgival Dantas, “clássico” das novelas globais, que ganha contornos encantadores, embora pareça desnecessária dentro do disco.

A outra faceta (ainda mais perceptível) é o aspecto alegre que se faz presente em praticamente todo o registro. Começa com a cuidadosa Na Varanda da Liz – faixa destinada a filha da cantora e composta por João Cavalcanti, também percussionista do grupo Casuarina – que se desmancha em acordes coloridos e uma sonoridade reconfortante. Divertida Hide and Seek com seu jeitão de musica country arremessa o disco lá pra cima, fomentando a criação de um som mais aberto e menos confessional.

Também produzido e musicado por Plínio Profeta – com quem Tiê havia trabalhado em seu debut – mesmo as faixas que seguem por um caminho mais melancólico e tortuoso acabam abraçando uma sonoridade menos intimista e soturna. Piscar O Olho, por exemplo, se aproxima de maneira bem latente ao que era proposto em Sweet Jardim, embora soe de forma mais descompromissada, solta e quase ausente de sofrimento.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=7FuQBkT7LN8]

O mesmo vale para Perto e Distante, que talvez por sua instrumentação gloriosa desponte um caráter mais esperançoso, algo que composições como Assinado Eu e Quinto Andar do disco de estreia acabavam por vezes ocultando.

Embora acompanhada por Profeta durante todo seu primeiro trabalho, Tiê passava a todo o momento a sensação de ausência, de solidão, sendo possível imaginar a musicista de maneira solitária em um palco escuro tendo apenas uma luz sobre sua cabeça. O grandioso número de participações dentro do novo registro talvez seja o que afasta esse sentimento solitário, muito mais do que a instrumentação em si. Há desde Jorge Drexler, Jessé Sadoc e Marcelo Jeneci em Perto e Distante, além de Hélio Flanders em Hide and Seek, fora os parceiros Pethit e Ruiz que emprestam seus versos a cantora.

Se ao estrear Tiê fomentava a criação de um som cinza, elemento que evidenciava um coração partido ou composto de pequenas ranhuras, em A Coruja e o Coração tudo soa com um frescor, um colorido e um brilho. A capa do disco antes preta e branca e sóbria, agora mostra pequenos focos de cor, prova de que no antigo e acinzentado jardim da cantora hoje brotam flores, algumas ainda crescendo de forma tímida, como se precisassem de um pouco mais de regas, mas todas plantas vivas e que principiam doces perfumes.

A paulistana tem todos os motivos para expressar sua felicidade e despontar um som versátil e ampliado, o recente registro é apenas um reflexo disso. Já os fãs amargurados que buscavam de maneira quase sádica por uma continuação sofrida do anterior trabalho, estes que busquem por lamentos em outros jardins, pois deste brotam apenas sentimentos renovados, ausentes de sombra e a todo momento banhados pelo Sol.


A Coruja e o Coração (2011)

Nota: 7.8
Para quem gosta de: Tulipa Ruiz, Thiago Pethit e Lulina
Ouça: Só Sei Dançar com Você

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/11571737″]