""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “&&&&&”, Arca

Arca
Experimental/Electronic/Hip-Hop
http://arca1000000.com/

 

Por: Cleber Facchi

Arca

Há um cuidado atípico no trabalho do nova-iorquino Arca. Encoberto por uma nuvem de sons instáveis e certa dose de mistério, o produtor – mais conhecido por algumas das bases que acompanham Kanye West em Yeezus – faz da presente Mixtape um princípio de abertura para o universo que vem lentamente esculpindo. Intitulado &&&&& (2013, Independente), o trabalho amarra em 25 minutos uma sequência de sons que rompem com o óbvio a cada beat, exercício que o artista soluciona em um ambiente longe do climático, mas de constante provocação.

Quem atravessa pela primeira vez o cenário proposto para o trabalho, talvez encontre certa dificuldade em “se localizar”. Embora dividido em 14 faixas – cada uma com um título e tema bastante próprio -, Arca entrega a versão final do registro em um agrupado único de sons e formas musicais totalmente excêntricas. São batidas corrompidas pela densidade – em um efeito próximo das invenções proclamadas por Clams Casino -, vozes picotadas e espalhadas de forma aleatória pelo trabalho, e todo um jogo de sons eletrônicos que se conectam diretamente com a IDM da década de 1990. Entretanto, mesmo a maior aproximação com a obra de outros artistas, surge pervertida nas mãos do nova-iorquino.

Como se fosse uma versão sombria de Flying Lotus, o grande destaque no trabalho de Arca está na capacidade em desenvolver temas curtos, mas de invenção ampla. São faixas de dois ou três minutos que agregam uma carga imensa de sons, colagens e quebras constantes de rumo, exercício bem desenvolvido no último trabalho de Kanye West, porém, solucionado de forma autêntica agora. Se a faixa de abertura, Knot, entrega as pistas, é a partir de Fossil que o produtor realmente se revela. Inicialmente tímida, a canção traz nos samples de vozes fragmentadas um princípio para o aumento na insanidade que lentamente preenche a obra.

Embora tratado como um imenso cartão de visita – obra que deve apresentar o trabalho de Arca a toda uma variedade de Rappers e produtores -, &&&&& cumpre com sua função, finalizando todas as pontas soltas deixadas pela obra. Por mais diversificado que seja o trabalho do nova-iorquino, criador de um cenário diferente em cada nova canção, todos os sons arquitetados pela obra parecem tratados dentro de um ambiente homogêneo. Como se estendesse um véu obscuro pela mixtape, Arca sintetiza todas as faixas em um núcleo ruidoso, provocante, estratégia que força as atenções do ouvinte até o último segundo.

Definido em uma relação com as batidas e, naturalmente, os rumos que elas assumem, Arca usa de toda uma carga de elementos complementares de forma a alimentar a obra. Mesmo que o uso constante de samples e recortes vocais agreguem valor ao trabalho, é no manuseio expressivo dos sintetizadores que o disco cresce com destaque. Apoiado em uma série de elementos que remetem ao trabalho de Daniel Lopatin, o produtor transforma faixas como Coin e Century em um orquestral de harmonias tortas, impulso que rompe com o possível enquadramento essencialmente eletrônico dado ao trabalho.

Aquecimento para um trabalho de grandeza natural, &&&&& cresce como uma vitrine de sons a serem explorados. Cada faixa abordada dentro do bloco desconexo da mixtape entrega ao ouvinte pistas do que pode vir a alimentar a obra de Arca. São pequenas regras, que ao que tudo indica, o produtor não parece muito interessado em seguir, acerto claro no que alimenta a formação conceitual deste primeiro trabalho.

 

Arca

&&&&& (2013, Independente)

 

Nota: 8.0
Para quem gosta de: Clams Casino, Flying Lotus, Sants
Ouça: o disco todo (!)

Veja também:


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Send this to friend