""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “By Your Side”, Breakbot

Breakbot
Electronic/Dance/Disco
https://www.facebook.com/breakbot

Por: Cleber Facchi

Há quem insista em apontar as referências construídas ao longo da década de 1980 como de suma importância para a produção musical recente. Prefiro acreditar que os anos 1970 são muito mais relevantes. Do ápice do rock clássico, passando pelo Glam Rock aos realces magistrais do rock progressivo; dos primórdios da cena eletrônica até esbarrar na explosão do movimento punk, incontáveis são os acertos e desdobramentos que a música encontrou ao longo de toda a riquíssima década. Fanático pela produção estabelecida no período, o produtor francês Thibaut Berland encontra na Disco Music – talvez o movimento de maior alcance popular do período – o combustível necessário para movimentar e definir como dançante cada pequena exaltação dentro do projeto Breakbot.

Criada em meados de 2007 e logo seguida de um bem planejado primeiro EP – Happy Rabbit -, a banda de um homem só encontra no baixo pegajoso, vozes repletas de falsetes e guitarras que pendem para a dança um universo de possibilidades que acoplados à música eletrônica crescem visivelmente. Sem o compromisso de revolucionar ou estabelecer rupturas dentro da produção musical presente, Berland transforma o (aguardadíssimo) primeiro disco em um álbum recheado por nuances criativas, vozes que grudam mais do que chiclete e todo um assertivo corpo instrumental de acabamento invejável. Prepare a calça boca de sino, o brilho, ensaie bem os passos e não se esqueça de ouvir By Your Side (2012, Ed Banger).

Bastam os primeiros segundos da instrumental faixa de abertura para que um mundo de sonorizações ecoe cativante e colorida. Jacksons 5, Bee Gees, Donna Summer, ABBA e até John Travolta em sua icônica participação no clássico Os Embalos de Sábado à Noite surgem em nossa mente.  Berland, entretanto está longe de simplesmente brincar com a nostalgia do período como tantos outros já fizeram com o passar das décadas: o produtor encontra de forma quase milagrosa uma fina linha de novidade. Talvez pela maior aproximação com a eletrônica e até algumas passagens pelo que foi construído ao longo dos anos 1980, há na estrutura que conceitua o projeto um expressivo toque de novo.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=vo3BUZx5ZWQ]

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=ShiKVmNnp9w]

Por mais que os créditos se voltem naturalmente ao bem elaborado trabalho do produtor – que provavelmente conseguiria resgatar a carreira de Michael Jackson se este ainda fosse vivo -, muito do que embeleza o bem arquitetado álbum vem das vozes e colaborações essenciais que o acompanham. Da faixa título ao primeiro grande single do francês, Baby I’m Yours, tudo cresce pela presença de colaboradores como Pacific!, Rickazoid e Irfane, artistas que impedem Berland de se fechar em um reduto essencialmente instrumental – ainda que curioso em músicas como Programme. By Your Side como grandes obras lançadas ao longo da década de 1970 é um registro que prima pela colaboração.

Como se não bastasse ao produtor nos conduzir por um passeio de exaltações dançantes e que se aproximam diretamente do que foi construído há mais de 30 anos, a própria capa do registro anuncia que teremos um encaminhamento ainda doce e achocolatado pelo projeto. Fáceis pela maneira como são entregues ao ouvinte, músicas como One Out Of Two, By Your Side Part e Fantasy escondem na infinidade de sons que as acompanham todo um bem construído catálogo de novas instrumentações e possibilidades. Assim, mesmo comercialmente próximas dos mais variados públicos, as canções parecem atingir diretamente os ouvidos mais exigentes, que pela sonoridade plástica ou pelas vozes bem amarradas não terão do que reclamar do disco.

Mais do que um bem sucedido encontro de faixas banhadas no pop, sintetizadores que puxam para as pistas e vozes que em nada desmerecem a herança deixada por grupos hoje extintos, By Your Side torna lógica sua relevância por se desligar completamente de todos os vícios que há tempos corrompem a eletrônica francesa. Nada de maximalismos redundantes, efeitos que remetam diretamente ao trabalho da dupla Daft Punk ou ruídos sintéticos que tornem óbvia a construção do disco. Tão logo a faixa de abertura Break Of Dawn se apega às raízes da música disco, imediatamente somos impregnados pela mesma exposição dançante que pontua o álbum. Um trabalho que mesmo temperado pela poeira musical do passado soa curiosamente renovado sem parecer nostálgico.

By Your Side (2012, Ed Banger)

Nota: 7.8
Para quem gosta de: Chromeo, Justice e Michael Jackson
Ouça: Fantasy, By Your Side e Baby I’m Yours