""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “Cavaleiro Selvagem Aqui te Sigo”, Mariana Aydar

Mariana Aydar
Brazilian/Female Vocalists/Samba
http://www.marianaaydar.com.br/

 

Por: Cleber Facchi

 

Em tempos de constantes colagens de sons e diversificados experimentos musicais Mariana Aydar parece ser a melhor contra resposta a isso tudo. Distante de qualquer possível aproximação com o rock, o pop, eletrônica ou mínimas incursões experimentais, a paulistana concentra todos seus esforços em um único e por enquanto imutável elemento: o samba. Vinda de uma sequência de três bem recepcionados álbuns, a cantora surge agora com seu novo disco, Cavaleiro Selvagem Aqui te Sigo, um trabalho que assim como seus bem explorados registros anteriores abre espaço para que Aydar nos aconchegue mais uma vez nas doces emanações de sua forte voz.

Distante do seleto grupo de vozes nacionais especializadas em construir seu próprio material e reinventar fórmulas, a paulistana usa de sua “modesta” opção como interprete uma possibilidade para destilar uma sequência de inegáveis acertos e faixas que imediatamente se convertem em criações suas. Seguindo o belo desempenho de seu último álbum, Peixes Pássaros Pessoas de 2009, a cantora se mostra não apenas preparada pra mais uma sequência de formidáveis músicas, mas se permite percorrer todo o registro longe de qualquer exposição de timidez ou fragilidade musical.

Se em seus trabalhos passados a paulistana já havia provado de forma satisfatória de grandes representantes da nossa música, é com a chegada deste quarto disco que todos seus esforços parecem realmente intensificados. Parte significante do que delimita o trabalho vem de registros clássicos da música brasileira ou mesmo composições bem conhecidas do grande público, permitindo à cantora que a mesma possibilite ao espectador uma visão totalmente própria de tão conceituadas composições.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=lS-AKjxFR_k]

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=rKOzi0HoviA]

Clássico na voz de Zeca Pagodinho, Vai Vadiar surge inicialmente embarcada em uma aura de tango e sobriedade, com Aydar intensificando seus vocais até a explosão sincera do refrão, que imediatamente afasta o aspecto bem humorado de outrora transformando a canção em um agrupado de versos sérios e sensações de revolta. A mesma reformulação se encontra também em Galope Rasante. Conhecida do paraibano Zé Ramalho, a canção surge totalmente remodelada na voz e na música que acompanha a paulistana, com a cantora desenvolvendo um tipo de som muito menos hermético e incrivelmente fácil ao público.

Nenhuma das versões exploradas pela musicista, entretanto, consegue igualar a versão totalmente renovada da memorável Nine Out Of Ten. Registrada pela primeira vez no clássico Transa de 1972, do baiano Caetano Veloso, a canção surge exposta em contornos totalmente peculiares, mesclando samba, reggae e uma estranha unidade pop versátil que poderia facilmente abrir os caminhos para uma carreira de Aydar em território estrangeiro.

Oposto de boa parte das enfadonhas interpretes que anualmente soterram seu público com uma avalanche de exposições sonoras redundantes e pouquíssimo inventivas, Mariana Aydar transforma sua nova obra em um caminho rápido para a consagração, mesmo que dentro de um específico público. Confortavelmente instalada nas raízes do samba – embora até se permita percorrer novas experiências -, a paulistana desenvolve em seu trabalho um resultado mais do que convincente, ocupando cada pequeno espaço do registro com sua voz forte, reconfortante e a partir de agora eterna.

 

 

Cavaleiro Selvagem Aqui te Sigo (2011, Universal)

 

Nota: 7.5
Para quem gosta de: Roberta Sá, Ana Cañas e Marina de La Riva
Ouça: Vai Vadiar

Veja também:


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Send this to friend