""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “Crush”, Abe Vigoda

Abe Vigoda
Noise Pop/Tropical Punk/Lo-Fi
http://www.myspace.com/abevigoda

Enquanto nos anos 90 bandas como Sonic Youth envoltas no Noise Rock buscavam uma sonoridade fora dos padrões comerciais, as bandas contemporâneas que trabalham esse estilo pendem cada vez mais para o lado pop. O novo disco da californiana Abe Vigoda é mais uma prova de que é possível unir guitarras distorcidas e sons inaudíveis com melodias pop e letras cantaroláveis.

Se no primeiro disco do grupo Sky Route/Star Roof (2006) somos introduzidos de cara à barulhenta “World Map Forever”, em Crush, disco mais recente da banda, temos a animadinha “Sequis” bem menos barulhenta, muito mais polida e recheada de tecladinhos divertidos. A escolha por uma sonoridade mais acessível já era visível no disco anterior Skeleton (2008) onde o padrão “Lo-Fi” foi lentamente deixado de lado.

A banda que costuma se definir como “Tropical Punk” terá de rever seus rótulos. Quem sabe “Tropical New-Wave” seja muito mais coerente com o atual álbum do grupo. Menos raivoso que seus antecessores, Crush é muito mais acessível e talvez o melhor trabalho da banda até agora. As canções que antes duravam até dois minutos agora são bem mais extensas, além de dar ao grupo a possibilidade de melhor explorar os instrumentos que fazem uso.

Abe Vigoda integra o excelente quadro de bandas como Wavves, No Age e Women representantes da atual leva do Noise Rock e que cada vez mais vem ganhando destaque na cena norte-americana. Se 2009 foi o ano do experimentalismo pop e de bandas como Animal Collective, Dirty Projectors e Grizzly Bear, 2010 sem dúvidas é o ano do Noise Pop e Abe Vigoda com seu Crush são bons representantes dessa leva.


Crush (2010)

Nota: 8.3
Para quem gosta de: Wavves, No Age e Woman
Ouça: Sequins, Dream Of My Love e Crush

Criador do Miojo Indie, trabalhou como coordenador de Mídias Sociais na Editora Abril, editor de entretenimento e cultura no Huffington Post e hoje é editor de conteúdo no Itaú. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil como presente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Send this to friend