""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “Curiosity”, Wampire

Wampire
Lo-Fi/Psychedelic/Indie
https://www.facebook.com/wampiremusic/

 

Por: Fernanda Blammer

Wampire

Eric Phipps e o parceiro Rocky Tinder do Wampire são fanáticos por referências nostálgicas, ambientações musicais caseiras e marcas específicas do que foi construído entre 1960 e 1980. Dançando em um mistura de referências que vai da psicodelia hippie aos sintetizadores que lavaram com neon a produção musical construída há mais de três décadas, o duo de Portland, Oregon traz na fluorescência pop uma provável junção para esse jogo de elementos tão instáveis. São canções que mesmo orientadas por um fundo excêntrico, em nenhum momento se desprendem do apelo comercial e dançante.

De posse do primeiro registro em estúdio, Curiosity (2013, Polyvinil), a dupla faz do imenso quebra-cabeças um princípio básico para uma obra que se sustenta e caminha por conta própria. As referências estão por todos os lados, porém, tratadas dentro de uma linguagem particular, jovial. A psicodelia em alguns instantes parece fruto de um aficionado pelo indie rock dos anos 2000, enquanto o Synthpop se manifesta em uma camada de nostalgia não vivenciada. Uma estranha artificialidade de sons que parecem há pouco descobertos, mas que não prejudicam a execução do álbum. De certa forma, até servem para explicar a massa colorida que dá vida ao trabalho.

Enquanto a faixa de abertura do disco, The Hearse, praticamente arremessa décadas de sons e ritmos sintetizados em uma aceleração que esbarra no cômico, à medida em que o disco se desenvolve a dupla parece tirar maior proveito das próprias preferências. A adorável Spirit Forest, por exemplo, deixa nos sintetizadores bem aproveitados e guitarras que por vezes caem no R&B um encaminhamento consistente. Uma sonoridade que lida de forma confessa com o pop, mas ainda assim esbarra em contextos excêntricos como os que acompanham Ariel Pink’s Haunted Graffiti e, principalmente, John Maus, vide a aproximação com We Must Become the Pitiless Censors of Ourselves (2011).


[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=P7hiEXOi6yE?rel=0]

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=VngPA1h9EQE?rel=0]

Com produção assinada por Jacob Portrait (Unknown Mortal Orchestra), o trabalho mantém na obra do grupo conterrâneo uma aproximação natural. Vocais que partilham de um mesmo tratamento caseiro, guitarras que se entregam abertamente ao passado e versos capazes de lidar com o amor de forma honesta. A diferença está no ritmo. Enquanto a obra do UMO se dissolve em uma medida de calmaria que toca o lisérgico, a estreia do Wampire clama pelo excesso e a aceleração, um efeito que praticamente mergulha as composições do grupo em uma massa saturada de vozes, teclados, batidas e guitarras sem qualquer pausa aparente.

Ainda que evidente a incipiência da banda, Curiosity é um trabalho que parece bem resolvido no uso das melodias, principalmente no que tange os sintetizadores. Elemento ativo da abertura ao fechamento da obra, as harmonias sintetizadas parecem alcançar um ponto absoluto de compreensão no decorrer de Snacks. Faixa mais curta do álbum, a cancão embarca todas as referências da banda em um composto adocicado, passeando tanto pela psicodelia como pelo pop. O mesmo efeito se repete em Outta Money, faixa que traz além dos teclados a presença delicada das guitarras e vocais, revelando uma característica que merece ser amadurecida nos futuros lançamentos da dupla.

Nítido projeto de experimentação e descoberta para a dupla, o disco traz em cada faixa um exercício proveitoso que se oriente em testar cada mínima porção sonora. Enquanto a abertura do álbum preza pela explosão de cores e sons em uma medida quase involuntária, quanto mais o registro se desenvolve, mais o Wampire assume um ponto de maturação. É como se o brinquedo novo e a típica euforia inicial aos poucos tomasse real sentido, embriagando a dupla com referências além das óbvias e automaticamente ajeitando o caminho para um futuro disco.

 

Wampire

Curiosity (2013, Polyvinil)

Nota: 7.6
Para quem gosta de: Unknown Mortal Orchestra e John Maus
Ouça: Spirit Forest e Outta Money

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/80402805″ params=”” width=” 100%” height=”166″ iframe=”true” /]

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/70147427″ params=”” width=” 100%” height=”166″ iframe=”true” /]


2 thoughts on “Disco: “Curiosity”, Wampire

Comments are closed.