""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “Doppeldanger/Pervade”, This Lonely Crowd

This Lonely Crowd
Brazilian/Post-Rock/Shoegaze
http://www.thislonelycrowd.com/

Por: Cleber Facchi

This Lonely Crowd

O ruído parece ser a base do trabalho da banda curitibana This Lonely Crowd. Dividida entre a introspecção do pós-rock e as distorções sujas do shoegaze, o coletivo traz na sobrecarga de ruídos a engrenagem para movimentar cada novo álbum, neste caso, os dois discos que a banda lançou em 2012. Mantendo a mesma estrutura sonora do álbum de estreia apresentado no último ano – Some Kind of Pareidolia -, em Doppeldanger And Other Delicious Secrets (entregue ao público há alguns meses) e o ainda fresco Pervade o grupo apresenta dois trabalhos tecnicamente similares, mas que transitam por vias totalmente opostas quando observados de maneira atenta.

Dos vocais à forma como as guitarras são trabalhadas, tudo se materializa de maneira contrastada, como se anos tivessem se passado entre o lançamento de um registro e outro – não apenas meses. A começar pelo primeiro trabalho, temos o que parece ser um encontro curioso entre as guitarras épicas do Mogwai com os vocais nasalados no melhor estilo Billy Gorgan (The Smashing Pumpkins) – influência assumida pela banda e resultado bem representado pelo vocalista Preceptor Teeth. A proposta estimula a construção de um trabalho que brinca o tempo todo com a grandiosidade dos sons, temática que guia a imensa faixa de abertura, The Art of Training Squirrels, até Doppeldanger, canção de encerramento do álbum.

Sem jamais fugir dessa proposta, o grupo – completo com Cyrus the Brewer (Guitarras), Bubba the Panda (Guitarras), Granamyr (Bateria) e Honeydew (Baixo e Voz) – deixa fluir um registro climático e homogêneo, possibilitando inclusive alguns momentos mais raivosos, como no cover de Lucid Fairytale da banda Napalm Death. Por falar em versões, sobra espaço para que a banda visite o trabalho do trio inglês Depeche Mode, apresentando uma versão particular e suja de Everything Counts, faixa originalmente encontrada no disco Construction Time Again de 1983.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=rDrUCH9M1Xg?rol=0]

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=SEy4xtB1l6U?rol=0]

Mesmo partidário de uma proposta bastante similar, ao visitarmos o cenário instrumental de Pervade, o resultado assume um fluxo completamente distinto. Muito mais autoral e aproveitando dos experimentos, o registro invade os ouvidos do espectador em meio a ruídos sombrios, ásperos e bastante próximos do que o grupo testou no último ano. Ainda que a conexão com o Pós-Rock se mantenha intensa – vide as melodias extensas e atmosféricas impostas em Abandon -, tudo é retratado de maneira a invadir a mente de quem passa pelo disco, mesmo aqueles já preparados pelos dois álbuns anteriores.

Parte do caráter inventivo da obra vem da relação direta com outros músicos durante a construção do álbum. Grande mente nos comandos do Sobre A Máquina, Cadu Tenório aparece para “sujar” com experimentos sombrios The Fugue e Oneironauts, faixas que mesmo influencias pela presença do músico carioca mantém a proposta base que orienta o trabalho do quinteto. As colaborações continuam ainda em Palimpsest com Dapplegrim da Bela Infanta, Losing Contact em colaboração com Copa do Ar e a mais curiosa delas em Abandon, faixa épica que conta com acertos eletrônicos de Hangin Freud.

Amplos e maduros na mesma intensidade, cada disco parece atrair o trabalho do quinteto para uma sonoridade bastante específica. A proposta torna clara a evolução do grupo, que mesmo mantendo uma forte conexão com o disco anterior se permite passear por uma multiplicidade de novas formas e preferências instrumentais, transformando os recentes discos em projetos que pouco a pouco se completam. Todavia, há na excessiva necessidade do primeiro em soar íntimo da herança de Billy Corgan uma variedade de pequenos desajustes, fazendo do mais novo álbum um trabalho melhor executado e uma provável ponte para o que a banda pode vir a desenvolver em um futuro próximo.

This Lonely Crowd

Doppeldanger And Other Delicious Secrets/Pervade (2012, Sinewave)

Nota: 7.2/7.8
Para quem gosta de: The Smashing Pumpkins, Sobre a Máquina e Mogwai
Ouça: Abandon e The Art of Training Squirrels

[soundcloud url=”http://api.soundcloud.com/tracks/31456331″ params=”” width=” 100%” height=”166″ iframe=”true” /]