""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “Hue EP”, Desampa

Desampa
Brazilian/Singer-Songwriter/Electronic
https://soundcloud.com/desampa

Por: Cleber Facchi

Desampa

Há pouco mais de um ano, quando Err EP apresentou o trabalho do misterioso Desampa, cada canção traçada no decorrer do pequeno álbum parecia fluir como uma representação das experiências musicais/sentimentais de seu criador. Doses controladas de R&B, um passeio  pela eletrônica recente e pianos enquadrados em um formato propositalmente melancólico. Fragmentos que ao serem encaixados conseguiam revelar (em partes) a figura humana por trás da máscara sombria do cantor, algo que Hue EP (2014, Independente) amplia de forma quase inevitável, fixando com incontestável identidade no decorrer das canções.

Menos hermético, o trabalho de “apenas” três faixas abraça as confissões como um propósito melódico e (quase) comercial. Tendo em Foregone, canção de abertura, um estímulo para o restante da obra, o artista paulistano reforça todas as tendências que gerenciam a construção do EP. São atos inicialmente tímidos, mas que aos poucos se acrescem com firmeza, algo que a inaugural criação ameniza entre vocais em falsete, beats capazes de dialogar com a cena britânica e uma interpretação sorumbática que parece própria do músico. Hue é uma obra sobre seu criador, mas usa de diversas ferramentas para estreitar os laços com o público – alternativo, médio ou grande.

Enquanto Err EP nasce e cresce como um trabalho de limites bem definidos, efeito retratado na aproximação que vai de Streets Of Soul aos verso/arranjos pontuais de Love?, Hue é uma obra de possibilidades. Por mais que a canção de abertura reforce essa transformação com a colagem de samples e pequenos efeitos eletrônicos renovados, é na chegada de Not Afraid To Fail, segunda música do trabalho, que a obra de Desampa se revela em totalidade. Até o último ato a canção demonstra a força e a presença do paulistano, que continua a interpretar o amor em uma medida própria – mesmo que alguns aspectos da canção reverberem como The Weeknd e Autre Ne Veut de forma involuntária.

Entregue do primeiro ao último verso em inglês, além de emanar uma série de referências típicas da cena estrangeira, Hue está longe de parecer uma obra que emula referências, pelo contrário, está inserido em um contexto natural, como um tratado autêntico. Dialogando com experiências que vão do produtor norte-americano How To Dress Well, ao britânico Sampha, Desampa cria uma obra curta, mas de apelo universal. Um trabalho que usa das emoções a seu favor e, ao menos por enquanto, parece longe de ser entregue ao esquecimento. A tristeza é um combustível funcional, e Desampa parece entender bem isso.

 

Desampa

Hue EP (2014, Independente)

Nota: 7.7
Para quem gosta de: Sampha, Autre Ne Veut e Halls
Ouça: Foregone e Holdon