""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Disco: “Rumour EP”, Chlöe Howl

Chlöe Howl
Pop/Electronic/Indie
http://www.chloehowl.com/

 

Por: Cleber Facchi

Chlöe Howl

Protegido por uma atmosfera de composições simples, despretensiosas e feitas para apenas divertir, Alright, Still (2006) talvez seja o registro pop mais influente de toda a produção inglesa dos anos 2000. Quase um contraponto aos exageros dramáticos que firmariam Amy Winehouse meses depois, com o lançamento de Back to Black, o primeiro registro em estúdio de Lily Allen permanece vivo mesmo que o caráter plástico de It’s Not Me, It’s You (2009) tenha soterrado a figura bem humorada da cantora e compositora. Nitidamente impulsionada pela mesma proposta da conterrânea, a jovem Chlöe Howl faz do primeiro EP a provável continuação do que Allen abandonou depois do primeiro disco, ou talvez aquilo que esperávamos depois de um álbum tão pegajoso.

Menos voltada aos passeios pelo Ska/Reggae que tanto influenciaram Lily Allen e lidando com uma mutação pop dos mesmos sons eletrônicos alcançados por La Roux, Howl transforma Rumour EP (2013, Sony) em um jogo rápido de acertos incontestáveis. Composto de três composições naturalmente velozes – Rumour, No Strings e I Wish I Could Tell You -, a inglesinha consegue mergulhar uma variedade de cenários distintos que armam as bases para um trabalho maior. Mesmo que seja difícil prever o que a artista pode vir a desenvolver em um futuro próximo, pelo menos por enquanto a cantora sabe bem o que procura: “composições simples, despretensiosas e feitas para apenas divertir”, estímulo que ela mantém mesmo no ponto mais entristecido da obra.


[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=bBZBz04KMHY?rel=0]

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=lfGcim3NYKk?rel=0]

Consciente de todas as transformações que abastecem a música inglesa atual, Howl não se deixa influenciar pelo óbvio, transformando a faixa-título em um passeio por diferentes camadas instrumentais. Enquanto as batidas (calcadas no Grime) são típicas do trabalho de Katy B (principalmente do EP Danger, 2012), a aceleração incorpora o mesmo espírito da estreia do La Roux. Um composto sintético que se distancia do tradicional por arremessar a cantora para cima do pop da já mencionada Lily Allen. Enérgica, a canção se conecta diretamente com o clima convidativo de No Strings, música que parece mergulhar Katy B e Foster The People no mesmo universo – sem qualquer tipo de estranheza ou possível exagero.

Mais distinta composição do trabalho, I Wish I Could Tell You posiciona Chlöe Howl em um terreno doloroso, rompendo com o fluxo dançante das duas primeiras músicas. Acalentada por sintetizadores climáticos, a música garante fechamento coeso ao álbum, como se depois de passar pela pista de dança das duas primeiras músicas, a cantora voltasse sozinha para casa. Porção mais “Adele” do EP, a faixa serve como um aviso, como se para além do descompromisso pop que abre o disco, Howl fosse capaz de brincar com temas “adultos” sem desmerecer o que circula pela proposta inicial do trabalho.


Download

Rumour EP (2013, Sony)

Nota: 7.3
Para quem gosta de: Katy B, Lily Allen e La Roux
Ouça: Rumour e No Strings