""

Ano:
Selo:
Gênero:
Para quem gosta de:
Ouça:
Nota:

Resenha: “Future Politics”, Austra

Artista: Austra
Gênero: Eletrônica, Synthpop, Darkwave
Acesse: http://www.austramusic.com/

 

Katie Stelmanis e os parceiros Maya Postepski, Dorian Wolf e Ryan Wonsiak sabem exatamente que tipo de som eles querem alcançar com o Austra. Em Future Politics (2017, Domino), terceiro e mais recente álbum de inéditas do coletivo canadense, toda a ambientação eletrônica originalmente testada nos iniciais Feel It Break (2011) e Olympia (2013) serve de base para a construção de um som ainda mais complexo, maduro, efeito da poesia política que orienta o registro.

Inspirado em conceitos abordados nos livros Inventando o futuro: Pós-capitalismo e um mundo sem trabalho e Manifesto Aceleracionista, de Nick Srnicek e Alex Williams, Future Politics detalha um cenário que mesmo futurístico, acaba se aproximando da nossa realidade. Um universo urbano, caótico, produto da forte interferência humana e dos excessos causados pela sociedade de consumo. Canções marcadas pelo isolamento, angústia e melancolia de diferentes indivíduos.

Tamanha complexidade nas composição dos versos em nenhum momento faz do registro um trabalho arrastado, difícil de ser absorvido pelo ouvinte. Pelo contrário, ao mesmo tempo em que Stelmanis pinta um futuro sombrio, pessimista, musicalmente, grande parte das canções servem de passagem para as pistas. Sintetizadores, batidas e temas eletrônicos que ampliam parte expressiva do som produzido pela banda desde o primeiro álbum de estúdio.

Assim como em qualquer registro de inéditas do Austra, o grande destaque de Future Politics se concentra na voz forte, sempre presente, de Stelmanis. Influenciada pelo pop operístico da Kate Bush e outras veteranas dos anos 1980, a cantora canadense faz de cada composição um objeto de destaque. Faixa de abertura do álbum, We Were Alive reflete com naturalidade o verdadeiro esmero do quarteto, costurando melodias e temas eletrônicos em torno dos versos que movimentam a canção.

Verdadeira coleção de hits, Future Politics revela uma seleção de músicas que parecem pensadas para grudar na cabeça do ouvinte logo em uma primeira audição. Na abertura do disco, o casamento perfeito entre os sintetizadores dançantes da faixa-título e a explosão eletrônica de Utopia. Em I Love You More Than You Love Yourself e Angel In Your Eye, a busca do quarteto por um som essencialmente comercial, pop, conceito também reforçado na ambientação cósmica de músicas como Deep Thought e Gaia.

Desenvolvido como uma obra fechada, Future Politics indica um claro amadurecimento no processo de composição da banda. Uma transformação que se reflete não apenas na formação dos arranjos e versos do registro, mas na própria estética incorporada pelo grupo nos vídeos de Utopia e da própria faixa-título do disco. Um misto de passado e presente que naturalmente perturba pela força dos temas e referências que se espalham no interior do trabalho.

 

Future Politics (2017, Domino)

Nota: 7.7
Para quem gosta de: Zola Jesus, iamamiwhoami e The Knife
Ouça: Utopia, I Love You More Than You Love Yourself e Future Politics