Gal Costa: “Só Louco” (part. Silva) / “Pois É” (part. Antonio Azambujo)


Depois de algumas semanas movimentadas, é chegada a hora de ter acesso aos dois últimos lançamentos do novo disco de Gal Costa, o comemorativo Gal 75 (2021), obra em que celebra os mais de 50 anos de carreira em uma série de duetos. De um lado, o cantor e compositor capixaba Silva, parceiro em Só Louco, criação originalmente composta por Dorival Caymmi e uma das principais canções no clássico Gal Canta Caymmi (1975). No outro, o músico português Antonio Azambujo, dono da voz que toma conta dos versos em Pois É, delicado registro eternizado no álbum Água Viva (1977).

Sequência ao material entregue em A Pele Do Futuro – 15º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Brasileiros de 2018 –, Gal 75 teve algumas de suas faixas apresentadas ao público nas últimas semanas. É o caso de Avarandado, ao lado de Rodrigo Amarante, Nenhuma Dor, com Zeca Veloso, Juventude Transviada, parceria com Seu Jorge, Meu Bem, Meu Mal, delicado dueto com Zé Ibarra, Coração Vagabundo, com o músico carioca Rubel, Negro Amor, ao lado do uruguaio Jorge Drexler e, recentemente, Paula e Bebeto, com o rapper Criolo e Baby junto de Tim Bernardes.




Gal Costa – Só Louco (part. Silva) / Pois É (part. Antonio Azambujo)

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.