Giovani Cidreira: “Mix$take”


Como indicado durante o lançamento de Pode Me Odiar, Giovani Cidreira está de volta com um novo registro de inéditas. Em Mix$take (2019), o cantor e compositor baiano segue um caminho completamente distinto em relação ao material entregue no antecessor Japanese Food — 9º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Brasileiros de 2017. São fragmentos eletrônicos, ruídos e improváveis diálogos com o R&B, proposta que naturalmente aproxima o artista de nomes como Frank Ocean, referência evidente em Oceano Franco, versão para Nikes, do álbum Blonde (2016).

Para a produção do trabalho, Cidreira contou com a forte interferência de Benke Ferraz, da Boogarins. O resultado dessa colaboração está na entrega de uma obra propositadamente irregular, torta. São sete composições em que o músico baiano não apenas desacelera em relação ao último registro autoral, como se permite provar de novas sonoridades e ritmos. O trabalho conta ainda com a presença de Luê Soares e Jadsa Castro, essa última, parceira de longa data do cantor. Sem tempo para descanso, o artista deve revelar nos próximos meses um novo álbum de estúdio


Giovani Cidreira – Mix$take