Glasser: “Shape”

Glasser

.

Glasser

.

Seja pela avalanche de bons lançamentos que definiram 2013, ou apenas desatenção, Interiors, segundo registro em estúdio da norte-americana Cameron Mesirow com o Glasser acabou passando (quase) despercebido. Quem resolveu dar atenção ao trabalho da cantora dificilmente se decepcionou. Ambientado em um universo de vozes, sons e até referências visuais próprias, o registro traz em músicas como Design e Landscape uma nítida mudança em relação ao álbum de estreia da artista, de 2010. Todavia, é em Shape que reside toda a beleza em torno da obra de Mesirow.

Faixa de abertura do álbum, a canção atravessa as experiências de Björk na década de 1990, até alcançar os experimentos do pop atual, transbordando ruídos, samples e vozes essencialmente pontuadas pela leveza. Agora transformada em vídeo, a música parece seguir com a construção de um cenário próprio do Glasser. Mais uma vez orientada pelo diretor Jonathan Turner, a cantora passeia por uma casa marcada pelo uso declarado de efeitos especiais, estabelecendo o que parece ser a estética definitiva da obra.

.


Glasser – Shape