Interpol: “Ancient Ways”

.

O título e o verso central de Ancient Ways não poderiam ser mais claros: “fodam-se os caminhos antigos“. Espécie de “resposta” ao peso da própria obra, ainda hoje sufocada pela herança dos dois primeiros discos da banda – Turn on the Bright Lights (2002) e Antics (2004) -, o mais recente fragmento de El Pintor (2014) resume de maneira o mesmo som raso que o grupo insiste em promover desde o último álbum.

Como se não bastasse a seleção de versos cíclicos e arranjos que tropeçam no mesmo pop-rock do Placebo em Battle For The Sun (!), Ancient Ways ainda replica uma estrutura já utilizada nas faixas mais comercias do trabalho anterior, de 2010 – principalmente Barricade. Previsíveis blocos de guitarras, vozes duplicadas e batidas rápidas que se espalham entre um refrão e outro, como se o grupo buscasse reciclar de forma mecânica a mesma estrutura de Obstacle 1 e demais faixas lançadas há mais de uma década. Paul Banks pode até reclamar, mas por enquanto são estes “antigos caminhos” que realmente importam dentro da obra do Interpol.

.

Interpol – Ancient Ways


One thought on “Interpol: “Ancient Ways”

Comments are closed.