Jadsa: “A Ginga do Nêgo”


Jadsa Castro é uma verdadeira força da música brasileira. Dona de uma voz forte e interpretação própria dos ritmos nacionais, a cantora e compositora baiana apresentou há poucos meses o ótimo Taxidermia, Vol. 1 – 28º colocado em nossa lista com Os 30 Melhores Discos Brasileiros de 2020 –, trabalho de apenas quatro faixas, mas que parece maior e mais complexo a cada nova audição. Satisfatório perceber o mesmo caráter inventivo na inédita A Ginga do Nêgo, canção que segue a trilha do material lançado no último ano e prepara o terreno para o primeiro álbum de estúdio da artista.

Intitulado Olho de Vidro (2021), o trabalho que conta com produção de João Milet Meirelles, parceiro desde o registro anterior, sustenta na criativa sobreposição de ideias, batidas e vozes a passagem para uma composição que mesmo própria de Jadsa, confessa algumas das principais referências da cantora. Difícil não lembrar de nomes como Itamar Assumpção, Marku Ribas e Jards Macalé, efeito direto do curioso jogo de palavras que serve de sustento à faixa. Instantes em que a artista preserva e perverte tudo aquilo que foi apresentado durante o lançamento de Taxidermia, Vol. 1.



Jadsa – A Ginga do Nêgo

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.