Jair Naves: “O.H.R.E.U.C.S”

Foto: Patricia Caggegi

O homem reprimido é um câncer social“. Embora curto, o verso lançado por Jair Naves na mais recente criação do músico mineiro diz muito sobre o caminho percorrido no aguardado Rente (2019). Terceiro álbum de estúdio do cantor e compositor radicado em São Paulo, o sucessor do elogiado Trovões a Me Atingir – 13º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Brasileiros de 2015 –, vem revelando uma sequência de faixas marcadas pela crueza dos versos, estrutura evidente na atmosfera caótica de Deus Não Compactua, faixa entregue ao público há poucas semanas.

A principal diferença entre O.H.R.E.U.C.S e os registros que a antecedem, entre elas, a já conhecida Veemente, está no forte caráter experimental da canção. Pouco menos de 50 segundos em que guitarras carregadas de efeito, sintetizadores e batidas se projetam em uma estrutura cíclica e suja, cercando os versos lançados por Naves. Embora faça parte do novo álbum do músico, a canção foi inicialmente lançada como parte da edição de abril da coletânea Hominis Canidae, seleção que ainda conta com o trabalho de nomes como Giovani Cidreira, Black Alien e Fafá de Belém.


Jair Naves – O.H.R.E.U.C.S