Jay Som: “A Thousand Words” / “Can’t Sleep”


Entregue ao público em meados do último ano, Anak Ko – 34º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Internacionais de 2019 –, segue como um dos registros mais preciosos da produção norte-americana. Sequência ao elogiado Everybody Works (2017), o terceiro álbum de estúdio de Melina Duterte como Jay Som mostra a capacidade da cantora e compositora estadunidense em dialogar com uma parcela ainda maior do público, efeito direto do uso de melodias aprazíveis e versos cantaroláveis, estímulo para a composição de músicas como Tenderness, Superbike e If You Want It.

Poucos meses após o lançamento do trabalho, a cantora e compositora californiana está de volta com outras duas composições inéditas: A Thousand Words e Can’t Sleep. São pouco mais de cinco minutos em que Duterte preserva a essência nostálgica do último álbum, porém, se permite avançar criativamente, brincando com a inserção de novos elementos e referências empoeiradas. Do uso de metais ao tratamento dado às guitarras, tudo soa como novidade dentro do material produzido pela artista, indicativo do completo esmero e capacidade da cantora em se reinventar.



Jay Som – A Thousand Words / Can’t Sleep

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.