Jlin: “No Name”


Prever o trabalho de Jlin está longe de parecer uma tarefa fácil. Basta voltar os ouvidos para o último registro de inéditas da produtora norte-americana, o excelente Black Origami – 25º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Internacionais de 2017. São recortes instrumentais, batidas e sintetizadores que mudam de direção a todo instante, brincando com a experiência do ouvinte. Ideias e pequenas interferências estéticas que reforçam a tentativa da artista em perverter e brincar com a própria identidade.

Convidada a participar da coletânea Adult Swim Singles deste ano, Jlin faz da recém-lançada No Name uma criativa reciclagem de conceitos e temas instrumentais. Em um intervalo de apenas cinco minutos, perceba como a artista joga com a experiência do ouvinte, colidindo batidas e ambientações eletrônicas de forma propositadamente instável. São variações estéticas e colagens completamente insanas, estrutura que ora aponta para a cena eletrônica de Chicago, ora dialoga com a trilha sonora de clássicos do vídeo game.


Jlin – No Name