Julien Baker: “Heatwave”


Primeiro álbum de Julien Baker em carreira solo desde o melancólico Turn Out the Lights – 44º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Internacionais de 2017 –, Little Oblivions (2021) parece seguir uma trilha completamente distinta em relação ao material entregue há quatro anos. Enquanto o registro que revelou músicas como Appointments e Happy To Be Here parecia ter encontrado na economia dos elementos a base para grande parte das faixas, com a chegada do novo disco a cantora e compositora norte-americana se permite buscar por novas possibilidades criativas.

Exemplo disso se reflete na crueza explícita em Heatwave. Inaugurada em meio a guitarras atmosféricas e parcos instrumentos, a faixa cresce aos poucos, como uma propositada ruptura do material entregue em Turn Out the Lights. Instantes de parcial recolhimento que antecedem momentos de maior intensidade, conceito que se reflete em toda a série de músicas apresentadas pela artista nos últimos meses. É o caso de Faith Healer, Hardline e a ainda recente Favor, essa última, colaboração com Phoebe Bridgers e Lucy Dacus, parceiras de banda no paralelo Boygenius.

Little Oblivions (2021) será lançado em 26/2 via Matador.


Julien Baker – Heatwave

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.