Jup do Bairro: “Sou Eu” (prod. Badsista)


Em junho deste ano, Jup do Bairro deu vida à provocativa Corpo Sem Juízo. Composição escolhida para apresentar o primeiro EP de inéditas da multiartista paulistana, a faixa se espalha em meio a versos semi-declamados que se completam pelo texto assinado pela escritora mineira Conceição Evaristo. Uma solução de rimas e batidas densas, proposta que tem sido aprimorada pela rapper desde os trabalhos em parceria com Linn da Quebrada, com quem divide o programa TransMissão, no Canal Brasil, mas que ganha ainda mais destaque na recém-lançada Sou Eu.

Eu sou o problema que vocês escondem desde a colonização / Eu sou o drama da clientela que compra sem nenhum tostão / Eu sou a vítima do seu crime mais hediondo / Eu sou a cria, filha mais fria do Capão Redondo“, rima enquanto reflete sobre a marginalização de si própria e a exclusão de outros indivíduos na periferia brasileira. Um exercício de profunda crueza sentimental, como um avanço claro em relação ao material entregue durante o lançamento de Corpo Sem Juízo. Assim como a canção anterior, Sou Eu se abre para a bem-sucedida produção da versátil Badsista.


Jup do Bairro – Sou Eu (prod. Badsista)

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.