Karina Buhr: “A Casa Caiu”

Foto: Alle Manzano

Em um cenário político marcado pelo caos, a poesia de Karina Buhr ganha forma e cresce. Quatro anos após o lançamento do último álbum de estúdio da carreira, Selvática – 6º colocado em nossa lista com Os 50 Melhores Discos Brasileiros de 2015 –, a cantora e compositora pernambucana começa a preparar o terreno para o quarto álbum de inéditas da carreira. Intitulado Desmanche (2019), o registro que conta com co-produção do experiente Régis Damasceno (Cidadão Instigado) deve reforçar a essência punk da artista, em acensão desde o cru Longe de Onde (2011).

Exemplo disso está na recém-lançada A Casa Caiu. Trata-se de um rock cru, torto, e completo pela percussão explosiva de Buhr, estrutura também reforçada durante o lançamento de Sangue Frio, há poucos meses. Trata-se de uma reflexão sobre o atual cenário brasileiro e, principalmente, o descaso em relação aos crimes ambientais ocorridos em Brumadinho e Mariana – “Mentira lavada e lavrada / A escada pra respirar / Na estrada enlamaçada / Quebrou ou não virá / Procurar embaixo da crosta / Cor vermelha, todos de barro / Como no fim do mundo ou no começo“.


Karina Buhr – A Casa Caiu