Luê: “Virou o Zoínho (Viciei)”

Foto: Julia Rodrigues

Quem esperava por uma possível continuação do pop ensolarado que embala as canções de A Fim de Onda (2012), álbum de estreia de Luê, encontrou no segundo registro de inéditas da artista paraense a passagem para uma obra ainda maior. Repleto de participações especiais, como Curumin, Dustan Galas, Fernando Catatau e Manoel Cordeiro, Ponto de Mira (2017) encanta justamente pelo amadurecimento na composição dos versos, servindo de passagem para uma nova fase na carreira da artista que tem colaborado com alguns dos nomes mais importantes da música brasileira.

Interessante perceber em Virou o Zoínho (Viciei), mais recente criação de Luê, uma natural continuação do som que vem sendo detalhado desde o álbum anterior. Completo pela presença de Luísa e os Alquimistas e Mateo, co-produtor da faixa, a canção discute a libertação sexual a partir da descoberta do prazer feminino. “Tem sido interessante redescobrir o meu corpo e todas a sua potência/limitação. Fazer as pazes. Mas acho que a grande virada mesmo foi entender que sexo não é performance e sim uma experiência de troca“, escreveu no texto de apresentação do trabalho. Ouça:


Luê – Virou o Zoínho (Viciei)


Leave a Reply