Moses Sumney: “Polly”


Com o lançamento de Virile, primeiro single de Grae (2020), Moses Sumney pareceu indicar a busca por novas possibilidades para o sucessor do elogiado Aromanticism – 18º colocado na nossa lista dos 50 Melhores Discos Internacionais de 2017. Marcada pela força dos arranjos, a faixa não apenas perverte tudo aquilo que o artista havia testado no registro anterior, vide o uso destacado das guitarras, como se permite provar de novas possibilidades. Um som denso, forte, estrutura que muda de direção com a chegada da inédita Polly, segundo e mais recente fragmento do novo álbum.

Naturalmente íntima de tudo aquilo que Sumney havia testado durante o lançamento de Aromanticism, a nova faixa ganha forma em meio a arranjos tímidos, quase imperceptíveis, base de algumas das principais composições do músico norte-americano, como Lonely World e Doomed. Instantes em que o artista vai do soul ao cancioneiro estadunidense em uma linguagem bastante similar ao trabalho de Bon Iver e Sufjan Stevens, esse último, parceiro de longa data do cantor. Um exercício de profunda entrega emocional, refinamento que se reflete até o último verso da canção.

Grae (2020) será lançado em 15/5 via Jagjaguwar.



Moses Sumney – Polly


One thought on “Moses Sumney: “Polly”

Comments are closed.