Nação Zumbi: “Melhor Nem”


Quem esperava por um novo álbum de inéditas do Nação Zumbi teve de se contentar com o material entregue pela banda em Radiola NZ (2017), obra que apresentou versões para grandes clássicos da música brasileira e internacional, como Refazenda, de Gilberto Gil, Sexual Healing, de Marvin Gaye. Passado o processo de divulgação do trabalho, o grupo recifense começa a preparar o terreno para um novo registro autoral. Com previsão de lançamento para o segundo semestre, o disco acaba de ter sua primeira composição entregue ao público.

Em Melhor Nem, a banda pernambucana – hoje composta por Jorge Du Peixe, Dengue, Lúcio Maia e Pupillo –, se esquiva de possíveis excessos para entregar uma faixa rápida e bem-resolvida, como uma sobra do homônimo disco entregue há cinco anos. São pouco mais de dois minutos em que a poesia rouca de Du Peixe se espalha em meio a pequenas quebras rítmicas e batidas contidas. “Não acredito no sim, mas acredito no fim / Não fique perto de mim, é bala, não é festim / Do início ao suplício / Já se vê o imprevisto anunciando o precipício“, canta.


Nação Zumbi – Melhor Nem