Não Não-Eu: “Labirinto Discreto” (VÍDEO)


É sempre satisfatório mergulhar nas canções da banda mineira Não Não-Eu. Hoje composto por Pâmilla Vilas Boas e Cláudio Valentin, o projeto parece ter encontrado um ponto de equilíbrio entre o experimentalismo eletrônico e o pop soturno, conceito que tem sido reforçado desde o autointitulado registro de estreia do grupo, casa de músicas como Chão e Eu Quero Fugir, mas que ganha ainda mais destaque nas canções do ainda recente Pureza e Perigo (2019), trabalho entregue há poucos meses e base parta o surgimento de composições como a ótima Sou o Que Me Trai, Sua Pele e Outono.

Poucos meses após o lançamento do trabalho, a dupla belo-horizontina está de volta com mais uma canção inédita: Labirinto Discreto. Marcada pelo reducionismo dos elementos, sintetizadores e vozes tratadas como instrumentos, a canção traz de volta tudo aquilo que os dois artistas têm aprimorado desde os primeiros registros autorais. Instantes que evocam a obra de estrangeiros como The xx, porém, preservando a identidade da banda. A canção ainda chega acompanhada de um clipe montado a partir de trechos do filme Meshes of the Afternoon (1943), da cineasta Maya Deren.



Não Não-Eu – Labirinto Discreto