Ouça | Bob Dylan: “Rough and Rowdy Ways”


Rough and Rowdy Ways (2020), um dos trabalhos mais esperados do ano, está entre nós. Primeiro registro de inéditas de Bob Dylan desde Tempest (2012), lançado há oito anos, o novo disco nasce como uma reflexão detalhada do artista sobre a morte, a passagem do tempo e a própria imortalidade. São faixas de essência descritiva, sempre extensas, direcionamento reforçado em algumas das composições previamente apresentadas pelo músico norte-americano, caso da já conhecida Murder Most Foul, com quase 17 minutos de incontáveis referências e citações.

Esse é o primeiro grande álbum de Dylan desde a trilogia composta por Shadows in the Night (2015), Fallen Angels (2016) e Triplicate (2017), todos marcados pelo resgate de clássicos da música estadunidense. Para a realização do trabalho, o músico contou com a interferência direta de um time seleto de colaboradores. É o caso de Fiona Apple, Blake Mills, o baterista Matt Chamberlain (Bruce Springsteen, Kanye West), o baixista Tony Garnier (Tom Waits, Paul Simon) e o guitarrista Charlie Sexton (David Bowie, Lucinda Williams), esse último, parceiro de longa data do cantor. Ouça:



Bob Dylan – Rough and Rowdy Ways

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.