Ouça | Four Tet: “ooo ̟̞̝̜̙̘̗̖҉̵̴̨̧̢̡̼̻̺̹̳̲̱̰̯̮̭̬̫̪̩̦̥̤̣̠҈͈͇͉͍͎͓͔͕͖͙͚͜͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢ͅ  oʅ͡͡͡͡͡͡͡͡͡͡͡​(​ ؞ৢ؞ؙؖ⁽⁾˜ัิีึื์๎้็๋๊⦁0 ̟̞̝̜̙̘̗̖҉̵̴̨̧̢̡̼̻̺̹̳̲̱̰̯̮̭̬̫̪̩̦̥̤̣̠҈͈͇͉͍͎͓͔͕͖͙͚͜͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢ͅ  ఠీੂ೧ູ࿃ूੂ”


Como se não bastasse a série de composições apresentadas sob o título de Four Tet, de tempos em tempos, Kieran Hebden costuma lançar algumas de suas criações pelo impronunciável ⣎⡇ꉺლ༽இ•̛)ྀ◞ ༎ຶ ༽ৣৢ؞ৢ؞ؖ ꉺლ. É o caso do recente ooo ̟̞̝̜̙̘̗̖҉̵̴̨̧̢̡̼̻̺̹̳̲̱̰̯̮̭̬̫̪̩̦̥̤̣̠҈͈͇͉͍͎͓͔͕͖͙͚͜͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢ͅ  oʅ͡͡͡͡͡͡͡͡͡͡͡​(​ ؞ৢ؞ؙؖ⁽⁾˜ัิีึื์๎้็๋๊⦁0 ̟̞̝̜̙̘̗̖҉̵̴̨̧̢̡̼̻̺̹̳̲̱̰̯̮̭̬̫̪̩̦̥̤̣̠҈͈͇͉͍͎͓͔͕͖͙͚͜͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢ͅ  ఠీੂ೧ູ࿃ूੂ (2020), trabalho que transita por diferentes campos da música eletrônica de forma sempre detlhista, estrurtura que acaba se refletindo em cada uma das quatro canções que abastecem o EP, além, claro, de toda a série de obras entregues pelo produtor britânico desde a segunda metade da década passada.

Esse é apenas mais um de uma série de lançamentos envolvendo o trabalho de Hebden nos últimos meses. Em março deste ano, o produtor britânico deu vida ao delicado Sixteen Oceans (2020), novo registro de inéditas como Four Tet em que utiliza de temas orgânicos e captações de campo como estímulo para a composição das faixas. Há poucas semanas, o artista foi convidado pelo velho colaborador, o músico canadense Dan Snaith, a produzir um remix para Never Come Back, uma das principais faixas de Suddenly (2020), décimo e mais recente álbum de estúdio do Caribou.


Four Tet – ooo ̟̞̝̜̙̘̗̖҉̵̴̨̧̢̡̼̻̺̹̳̲̱̰̯̮̭̬̫̪̩̦̥̤̣̠҈͈͇͉͍͎͓͔͕͖͙͚͜͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢ͅ  oʅ͡͡͡͡͡͡͡͡͡͡͡​(​ ؞ৢ؞ؙؖ⁽⁾˜ัิีึื์๎้็๋๊⦁0 ̟̞̝̜̙̘̗̖҉̵̴̨̧̢̡̼̻̺̹̳̲̱̰̯̮̭̬̫̪̩̦̥̤̣̠҈͈͇͉͍͎͓͔͕͖͙͚͜͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢͢ͅ  ఠీੂ೧ູ࿃ूੂ