Ouça | Wild Nothing: “Laughing Gas”


Com o lançamento de Indigo (2018), Jack Tatum decidiu estreitar a relação com o rock dos anos 1980. O resultado desse forte direcionamento nostálgico está na entrega de músicas como Letting Go, Partners in Motion, The Closest Thing to Living e todo um fino catálogo de ideias que encanta pelo delicado uso das melodias e temas instrumentais. Um curioso olhar para o passado que teve início no primeiro álbum de estúdio do Wild Nothing, Gemini (2010), mas que parece longe de chegar ao fim, direcionamento que se reflete com a entre do empoeirado Laughing Gas EP (2020).

Sequência ao material entregue pelo grupo norte-americano durante o lançamento de Indigo, o registro de apenas cinco faixas encontra no criativo resgate de tendências a base para cada novo fragmento instrumental e poético orquestrado por Tatum. São pouco mais de 20 minutos em que o músico norte-americano convida o ouvinte a viajar em direção ao passado, conceito que se reflete em algumas das principais músicas produzidas para o EP, caso de Foyer e Blue Wings, ambas apresentadas ao público no início deste ano. A distribuição do trabalho ficou por conta do selo Captured Tracks.



Wild Nothing – Laughing Gas