Papisa: “Terra” (VÍDEO)


O peso da passagem do tempo, a relação com a morte e a essência mística da alma feminina. Em Fenda (2019, Independente), primeiro álbum de estúdio de Rita Oliva como Papisa, cada fragmento do disco reflete a sensibilidade e profunda entrega emocional da cantora e compositora paulistana. Mais conhecida pelo trabalho como ex-integrante das bandas Cabana Café e P A R A T I, a artista, que desde 2016 vem investindo no trabalho em carreira solo, utiliza das próprias vivências como estímulo para a composição dos versos. São poemas musicados que se espalham em meio a memórias recentes, estrutura que orienta a experiência do ouvinte até o último instante da obra.

Há cinco anos, presenciei o momento da morte do meu avô e isso me tocou profundamente. Enquanto escrevia o disco, fui tocada por outras mortes, literais e simbólicas, e isso reabriu algumas feridas, possibilitou que outras fossem se curando”, resume no texto de apresentação do trabalho. De fato, do momento em que tem início, na lúgubre Moiras, até alcançar a faixa de encerramento do disco, Espelho, Oliva parece flutuar em meio a canções que utilizam da morte como um precioso elemento de ruptura, transformação e recomeço, partindo de metáforas e elementos simbólicos para a consolidação da própria identidade criativa. Leia o texto completo.

Uma das melhores e mais intensas criações de Rita Oliva como Papisa, Terra foi justamente a canção escolhida para se transformar no mais novo clipe da cantora e compositora paulistana. Marcado pelo forte aspecto místico na composição das imagens, estrutura que naturalmente faz lembrar da recente refilmagem de Suspiria (2018), do diretor Luca Guadagnino, o trabalho mostra o esmero do diretor Rodrigo de Carvalho (MC Tha, Jaloo) na montagem de cada quadro. Densa, a canção faz parte do ótimo Fenda (2019), estreia de Oliva em carreira solo e um dos grandes lançamentos do ano. Assista:


Papisa – Terra