"FM!"

Ano: 2018
Selo: Def Jam
Gênero: Hip-Hop, Rap, R&B
Para quem gosta de: Earl Sweatshirt e Danny Brown
Ouça: FUN!, Feels Like Summer e No Bleedin
Nota: 8.0

Resenha: “FM!”, Vince Staples

Sem tempo para descanso, Vince Staples passou os últimos quatro anos se revezando em uma sequência ininterrupta de obras. Do aquecimento em Hell Can Wait (2014), primeiro EP de inéditas dentro de um selo de grande porte, a gigante Def Jam, passando pela estreia no sombrio Summertime ’06 (2015), ao refinamento poético no EP Prima Donna, registro que ainda serviu de base para o eletrônico Big Fish Theory (2017), cada novo trabalho do rapper original de Compton, Califórnia, parece transportar o ouvinte para um universo completamente novo.

Exemplo disso está no terceiro e mais recente álbum de estúdio de Staples, FM! (2018, Def Jam). Lançado de surpresa, sem aviso prévio, o trabalho encontra em uma estação de rádio fictícia localizada em Los Angeles a base para cada uma das 11 composições que recheiam o disco — três delas vinhetas e esquetes cômicas. Trata-se de um registro marcado pelo bom humor das rimas, atmosfera quente e fino toque de celebração que se reflete a cada novo fragmento da obra, como uma extensão clara do som pop que vem sendo incorporado desde Primma Donna.

Como indicado logo na inaugural Feels Like Summer, composição assinada em parceria com o rapper Ty Dolla $ign, FM! cresce em uma atmosfera ensolarada, sempre radiante. Trata-se de uma interpretação musical (e estética) do ambiente de pequenos excessos, corpos à beira-mar, drogas e todo o universo que marca o litoral californiano. Um refinamento melódico que atravessa os versos lançados pela dupla para orientar de maneira explícita cada batida ou base eletrônica que serve de estímulo para a formação do trabalho.

Com base nessa estrutura, Staples entrega ao público o trabalho mais acessível de toda sua carreira. Composições como a pegajosa FUN!, com suas batidas e versos que se entrelaçam de forma essencialmente dançante; a rima pegajosa de No Bleedin ou mesmo a faixa de encerramento do disco, Tweakin’, canção que se abre para a breve interferência da convidada Kehlani. Ideias que se entrelaçam de forma deliciosamente simples, direcionamento que se reflete na curta duração de cada música, como uma fuga declarada de possíveis excessos.

Interessante notar que mesmo na efemeridade da obra, Staples e Kenny Beats, principal parceiro de produção, não economizam na composição de composições marcadas pelos detalhes, forçando uma audição atenta por parte do ouvinte. Exemplo disso está em Outside!, música trabalhada em cima de uma base lenta do viral Nyan Cat. Em Relay, composição que conta com produção de Hagler, uma rica tapeçaria instrumental e colagens eletrônicas que ampliam de forma inteligente parte do material entregue em Big Fish Theory.

Repleto de participações especiais — Earl Sweatshirt, Kamaiyah, Tyga, E40 e Jay Rock estão entre os artistas que integram a lista de colaboradores —, FM! preserva a essência dos antigos trabalhos de Vince Staples, porém, partindo de uma nova estrutura. Livre da pressão e da atmosfera densa que vem sendo explorada desde o amadurecer criativo em Summertime ’06, o novo álbum mostra a capacidade do artista em se reinventar criativamente, proposta que se reflete na composição de um material menos complexo, porém, ainda relevante e capaz de seduzir o público.