Róisín Murphy: “Murphy’s Law”


Quem há tempos acompanha o trabalho de Róisín Murphy não tem do que reclamar. Desde o último ano, a cantora e compositora irlandesa tem revelado ao público uma série de faixa inéditas marcadas pelo completo refinamento dos temas instrumentais, batidas e versos. São faixas como a crescente Incapable, com seus quase nove minutos de sintetizadores e ambientações nostálgicas, como um passeio pelo pop eletrônico da década de 1990. O mesmo cuidado acaba se refletindo Narcissus, faixa que aponta para os anos 1970, porém, preserva a essência criativa da cantora.

É partindo desse mesmo diálogo com o passado que a irlandesa entrega ao público a inédita Murphy’s Law. Em um intervalo de oito minutos, Murphy e DJ Parrot, parceiro de longa data da artista, convidam o ouvinte a se perder um território tão nostálgico quanto musicalmente marcado pelo frescor. Da construção dos versos, passando pela linha de baixo suculenta ao uso das guitarras, tudo parece pensado para atrair a atenção do ouvinte. Instantes em que a cantora resgata o que há de mais detalhista em algumas de suas principais obras, como Ruby Blue (2005) e Overpowered (2007).



Róisín Murphy – Murphy’s Law

Jornalista, criador do Miojo Indie e integrante do podcast Vamos Falar Sobre Música. Já passou por diferentes publicações de Editora Abril, foi editor de Cultura e Entretenimento no Huffington Post Brasil, colaborou com a Folha de S. Paulo e trabalhou com Brand Experience e Creative Copywriter em marcas como Itaú e QuintoAndar. Pai do Pudim, “ataca de DJ” nas horas vagas e adora ganhar discos de vinil de presente.