Róisín Murphy: “Narcissus”


Tem sido difícil escapar do som produzido por Róisín Murphy nos últimos meses. Três anos após o lançamento do último álbum de estúdio da carreira, Take Her Up to Monto (2016), a cantora e compositora irlandesa tem se revezado na entrega de uma série de faixas inéditas. Primeiro, veio a a nostálgica Incapable, música assinada em parceria com o experiente DJ Parrot e um claro diálogo com a produção eletrônica da década de 1990, conceito que tem sido aprimorado pela artista desde a estreia com Ruby Blue (2005), trabalho co-produzido em parceria com Matthew Herbert.

Em Narcissus, mais recente criação de Murphy, o mesmo direcionamento nostálgico na composição das batidas, melodias e vozes, como uma extensão natural do material entregue há poucos meses. São pouco menos de oito minutos em que a cantora irlandesa e o produtor Richard Barratt convidam o ouvinte a dançar. Da construção das batidas ao delicado uso dos arranjos de cordas, tudo funciona como um convite a se perder pelas pistas de dança, proposta que naturalmente dialoga com a obra de Hercules and Love Afair, Robyn e demais nomes de destaque relacionados ao gênero.


Róisín Murphy – Narcissus