Sevdaliza: “Joanna”


Sem pressa, Sevdaliza tem trabalhado na construção do segundo álbum de estúdio da carreira. Primeiro, a cantora e compositora naturalizada holandesa deu vida à inédita Oh My God, um trip-hop atmosférico marcado por memórias da infância e conflitos políticos envolvendo os Estados Unidos e Irã, país de origem da artista. Em seguida, foi a vez de Lampa Lady, faixa marcada pela riqueza dos detalhes e uso complementar dos samples, proposta que naturalmente aponta para o trabalho de veteranos da década de 1990, caso de Massive Attack e, principalmente, Portishead.

O mesmo cuidado acaba se refletindo na inédita e recém-lançada Joanna. Entre guitarras que parecem saídas de alguma composição de Adrian Utley, passando pelo uso atmosférico da voz, cada elemento do registro parece apresentado ao público em uma medida própria de tempo, sem pressa. São delicadas camadas instrumentais que vão do uso de sintetizadores etéreos à voz sampleada, indicativo do completo esmero de Sevdaliza em estúdio. O último grande álbum da cantora é o elogiado ISON (2017), obra em que revelou preciosidades como Amandine Insensible, Hubris e Hero.



Sevdaliza – Joanna