Artista: Tennis
Gênero: Indie, Alternativa, Dream Pop
Acesse: http://www.tennis-music.com/

 

O conceito referencial das guitarras, versos românticos e captações caseiras fizeram do som produzido pelo Tennis a base para um projeto quase caricatural. Uma interpretação nostálgica de tudo aquilo que abasteceu o pop-rock dos anos 1970/1980. Registros de essência litorânea, como Cape Dory (2011), e melodias empoeiradas, caso de Young & Old (2012) e Ritual in Repeat (2014), que posicionam de forma quase deslocada o trabalho da dupla Alaina Moore e Patrick Riley.

Quarto álbum de estúdio da banda original de Denver, Colorado, Yours Conditionally (2017, Mutually Detrimental) mantém firme a mesma proposta explorada pelo casal nos três primeiros álbuns de estúdio. Uma coleção de músicas enevoadas, como fragmentos resgatados de uma antiga coletânea. Do primeiro ao último instante, o perfeito diálogo entre as guitarras cuidadosamente encaixadas por Riley e a voz doce, por vezes melancólica, de Moore.

Entretanto, a similaridade com os primeiros trabalhos da dupla não passa apenas de uma relação estética, produto da arquitetura musical do disco. Responsável pela composição dos versos, Moore se distancia do eu lírico romântico e sonhador de outrora para viver uma personagem real, provocativa. O resultado dessa mudança está na composição de faixas que dialogam o presente. Versos que falam sobre empoderamento, crises conjugais e o papel da mulher na sociedade.

Garotas não tocam guitarra / Garotas não descem, não descem até o chão com som delas / Talvez possamos fingir”, canta em Ladies Don’t Play Guitar, um reflexo sobre o protagonismo sufocado e o peso do machismo dentro da cena musical. Ao mesmo tempo em que dialoga com a década de 1970, efeito da sonoridade e visual adotado pela dupla para a divulgação do disco, Moore estabelece nos versos a ponte para o presente cenário, fazendo do álbum um registro necessário.

Continue Reading "Resenha: “Yours Conditionally”, Tennis"

. A atual proposta de Patrick Riley e Alaina Moore com o Tennis se manifesta de forma muito diferente daquela assumida no debut Cape Dory, de 2011, entretanto, a qualidade do projeto permanece a mesma. Longe das emanações litorâneas do registro de estreia e seguindo os arranjos de Young & Old, de 2012, o casal norte-americano anuncia para o dia nove de setembro a chegada do terceiro álbum da carreira: Ritual In Repeat (2014). Tendo no single Never Work For Free uma passagem para o…Continue Reading “Tennis: “Never Work For Free””

. Apresentado em findos de 2013, Small Sound EP veio como um ponto final nas emanações litorâneas assinadas pelo casal Patrick Riley e Alaina Moore do Tennis. Ainda atento aos argumentos nostálgicos do duo, o registro de poucas faixas ruma de forma definitiva para os anos 1980, incorporando desde elementos assertivos do pop rock que ocupou grande parte do período, até pequenos exageros estéticos que ainda hoje definem a década. Um bom exemplo disso sobrevive no interior de Cured Of Youth. Guiada pelas guitarras de…Continue Reading “Tennis: “Cured Of Youth””