Formado em 2004 na cidade de Baltimore, Maryland, o Beach House é um projeto de Dream Pop comandado pela dupla Victoria Legrand e Alex Scally. Entre referências ao trabalho de gigantes como This Mortal Coil, Cocteau Twins, The Zombies e The Beach Boys, a dupla faz de cada novo álbum de inéditas uma obra marcada pelos sentimentos, ponto de partida para a formação de músicas como Master of None, Walk In The Park e Myth. Apontado como um dos principais nomes do gênero, o duo acumula uma sequência de grandes obras como Devotion (2008), Teen Dream (2010) e Bloom (2012), trabalhos organizados do “pior” para melhor lançamento em mais uma edição da seção Cozinhando Discografias.

Continue Reading "Cozinhando Discografias: Beach House"

. Diga com quem andas… Poucas semanas após anunciar o segundo registro em carreira solo e apresentar a faixa-título do trabalho, Tough Love (2014), Jessie Ware aparece com mais uma comovente criação. Menos pulsante e sombreada por boas melodias, Share It All flutua como uma doce representação do Lado B de Devotion (2012), registro de estreia da britânica. Uma simples colisão de temas e referências que saltam da eletrônica/R&B dos anos 1990 diretamente para o presente. Sutil e abastecida por pequenos suspiros, a faixa reforça…Continue Reading “Jessie Ware: “Share It All””

. Há dois Jessie Ware apresentava (de fato) o primeiro álbum solo, Devotion (2012), com a dobradinha 110% e Running – Wildest Moments só veio mais tarde. Próxima de entregar o segundo registro da carreira, ainda sem título, a cantora britânica prova que desacelerar trouxe benefícios ao próprio trabalho. Econômica e feita para gerar expectativa, a recém-lançada Tough Love é um delicioso avisto de tudo o que deve orientar a carreira da artista pelos próximos meses. Primeira mostra do registro que vem para suceder Devotion,…Continue Reading “Jessie Ware: “Tough Love””

. Já cansou da nova safra de artistas relacionados ao cenário R&B? A gente ainda não. Mais novo nome que vem chamando a atenção lá fora, a cantora SLK parece fugir das emanações letárgicas do gênero, apostando em uma sonoridade um pouco mais intensa. Ainda apoiada na composição estética da década de 1990, a cantora usa da sobreposição eletrônica das bases para dar maior movimento aos vocais, exercício assumido com evidente autenticidade na recente Be. Mais nova parceria da artista com o produtor Embody –…Continue Reading “SLK: “Be””

. Imagine as vocalizações testadas por Jessie Ware em Devotion (2012) indo de encontro aos arranjos sutis que acompanham a obra de James Blake em Overgrown (2013). É exatamente isso que você encontra em How The Mighty, single de estreia da cantora britânica Violet Skies. Com produção assumida por Axel Kacoutie, o trabalho sintetiza desde passagens pelo R&B dos anos 1990, até representações presentes da melancolia que define a obra de Sampha e London Grammar. Um conjunto sombrio de referências que dançam pelo acolchoado de…Continue Reading “Violet Skies: “How The Mighty””

. Devotion (2012) ainda nem esfriou e Jessie Ware já acumula algumas novas composições para o sucessor do bem recebido debut. Em recente passagem por Houston, Texas, a cantora britânica deu ao público uma prova melancólica de que está longe de encontrar conforto, transformando a inédita True Believers em um aviso delicado do que pode marcar o trabalho da artista pelos próximos meses. Com um espaço cada vez maior para os vocais, Ware derrama sentimentos em uma faixa que imediatamente remete ao trabalho de Beyoncé,…Continue Reading “Jessie Ware: “True Believers””

. Com uma centena de boas composições e remixes espalhados ao longo dos anos, o produtor britânico Julio Bashmore reserva para o próximo ano a chegada do aguardado primeiro registro de estúdio. Mesmo sem data de lançamento ou demais informações aparentes, o trabalho reforça na colaboração recente entre Bashmore e Jessie Ware um princípio para o que deve abastecer toda a inédita obra. Intitulada Peppermint, o mais novo single do produtor ameniza sintetizadores, batidas e, claro, os vocais da convidada em um efeito naturalmente próximo…Continue Reading “Julio Bashmore: “Peppermint” (Ft. Jessie Ware)”

. Jessie Ware não quer saber de descanso. Em pleno processo de divulgação do álbum Devotion (2011), a cantora britânica aproveita das poucas horas livres para engatar algumas parcerias, caso do “encontro” com A$ap Rocky há algumas semanas e mais recentemente na colaboração com Mayer Hawthorne em Her Favorite Song. Dividida entre o R&B, o Pop e alguns passeios pelo rock da década de 1970, a faixa estende aquilo que o o cantor testou há dois anos com o bem recebido How Do You Do…Continue Reading “Mayer Hawthorne: “Her Favorite Song” (ft. Jessie Ware)”

. O fascínio de Jessie Ware pelos sons alcançados na década de 1990 parece se estender para além do que foi promovido em Devotion (2012), estreia da britânica. Em pleno processo de divulgação do registro, a cantora vai até 1991 para resgatar a esquecida Love Thy Will Be Done, canção originalmente lançada pela californiana Martika. Embora pareça apenas mais uma manifestação de Ware em relação aos sons conquistados há duas décadas, a escolha pela faixa é bastante coerente. Trata-se de uma parceria entre Martika e…Continue Reading “Jessie Ware: “Love Thy Will Be Done””

. Jessie Ware continua mergulhada nos sons e no clima da década de 1990. Depois do R&B chega a vez da artista britânica mergulhar na eletrônica em Imagine It Was Us. São batidas, vozes e um ritmo que se aproveita de tudo o que foi construído na eletrônica desde o fim dos anos 1980 até a primeira metade da década seguinte. Originalmente apresentada ao final de Março, a canção aparece agora em sua versão oficial, contando inclusive com um clipe que ultrapassa o clima compacto…Continue Reading “Jessie Ware: “Imagine It Was Us””