New York 93 e Guap, esses são alguns dos principais trabalhos lançados pela sul-coreana Kathy Yaeji Lee nos últimos meses. Claramente influenciada pela música Techno/House do começo da década de 1990, a artista anuncia para o final de março a chegada do primeiro EP oficial. Autointitulado, o registro deve apresentar algumas das principais canções assinadas pela produtora, além, claro, de faixas inéditas, caso da recém-lançada Noonside.

Inspirada pela mudança de Lee para a cidade de Nova York, a nova faixa mostra a busca da produtora por um material que mesmo pop, acessível, em nenhum momento se esquiva das batidas e bases sujas lançadas pela artista. Entre versos trabalhados de forma cíclica, a faixa se espalha lentamente, detalhando um som que parece pronto para as pistas. No clipe dirigido por Yaeji, uma colcha de retalhos visuais e diferentes cenas gravadas na nova casa nos Estados Unidos.

Yaeji EP (2017) será lançado no dia 31/03 via Godmode.

 

Yaeji – Noonside

Continue Reading "Yaeji: “Noonside” (VÍDEO)"

 

Dono de um imenso catálogo de singles, remixes, mixtapes e ótimos EPs, o produtor canadense Jacques Greene anuncia para o começo de março a chegada do primeiro álbum da carreira. Intitulado Feel Infinite (2017), o registro deve manter a mesma essência dançante incorporada pelo artista no lançamento de You Can’t Deny, música apresentada em agosto do último ano e uma das 11 composições que abastecem o aguardado registro.

Semanas após o lançamento de Real Time, música que dialoga com todo o universo da cena eletrônica no começo dos anos 1990, Greene está de volta com uma nova composição. Em To Say, o destaque são os sintetizadores vintage que o produtor detalha ao fundo da canção, estabelecendo um pequeno embate entre as melodias eletrônicas e o vocal sampleado que salta logo nos primeiros minutos da faixa, conceito bastante similar ao trabalho de Jamie XX em In Colour (2015).

Feel Infinite (2017) será lançado no dia 10/03 via LuckyMe.

 



Jacques Greene – To Say

Continue Reading "Jacques Greene: “To Say”"

 

De um lado, a eletrônica tropical do produtor espanhol John Talabot, no outro oposto, a house music do sueco Axel Boman. Sob o título de Talaboman, o duo europeu anuncia para o começo de março a chegada de The Night Land (2017), primeiro LP do projeto originalmente lançado em 2014. São oito composições em que batidas lentas se espalham em meio a sintetizadores climáticos, apontando para a cena eletrônica do começo da década de 1990.

Segunda faixa do disco, Safe Changes foi justamente a escolhida para resumir parte da sonoridade produzida por Talabot e Boman. Pouco mais de seis minutos em que sintetizadores lentamente sobrepostos convidam o ouvinte a dançar, criando um delicado pano de fundo para o jogo de batidas contidas que a dupla detalha durante a formação da música, completa pela lenta inserção de samples nos instantes finais da composição.

 

The Night Land

01 Midnattssol
02 Safe Changes
03 Samsa
04 Six Million Ways
05 Loser’s Hymn
06 Brutal Chugga-Chugga
07 The Ghosts Hood
08 Dins El Llit

The Night Land (2017) será lançado no dia 03/03 via R&S Records.

 


Talaboman – Safe Changes

Continue Reading "Talaboman: “Safe Changes”"

 

Andy Butler está longe de superar o primeiro álbum de estúdio do Hercules & Love Affair, lançado em 2008, entretanto, difícil escapar de cada novo registro de inéditas entregue pelo produtor. Três anos após o laçamento de The Feast of the Broken Heart (2014), o artista nova-iorquino começa a preparar o terreno para um novo disco. Em Controller, parceria com o músico britânico Faris Badwan (The Horrors, Cat’s Eyes), um poderoso arrasa-quarteirões das pistas de dança.

Como tudo o que Butler vem produzindo nos últimos anos, a nova faixa se espalha lentamente, sem pressa, detalhando uma sequência controlada de sintetizadores, batidas e, claro, a voz expressiva do convidado. Além dos três álbuns de estúdio — Hercules and Love Affair (2008), Blue Songs (2011) e The Feast of the Broken Heart (2014) —, o projeto conta com uma participação na coletânea DJ-Kicks e um bem-servido catálogo de singles, remixes e outras colaborações.

 

Hercules & Love Affair – Controller (Feat. Faris Badwan)

Continue Reading "Hercules & Love Affair: “Controller” (Feat. Faris Badwan)"

 

Em novembro do último ano, o produtor sueco Mr. Tophat em parceria com a cantora Robyn anunciou a chegada do colaborativo Trust Me, um EP de três faixas com produção dividida entre a dupla. Na ocasião, o casal apresentou ao público a extensa faixa-título do registro. Pouco mais de dez minutos de duração que aproximam a obra a autora de obras como Body Talk (2010) e Do It Again (2014) das pistas de dança e da House Music que movimenta os trabalhos do parceiro de composição.

Dando sequência ao processo de divulgação do trabalho, Robyn e Mr. Tophat apresentam ao público a inédita Right Time. Em um intervalo de quase dez minutos, vozes picotadas da cantora se espalham em meio a batidas e ambientações eletrônicas, esbarrando com naturalidade em elementos do Dub originalmente testados durante o lançamento do single anterior. Esse é o terceiro registro colaborativo de Robyn, que já trabalhou em com a dupla Röyksopp e no projeto paralelo La Bagatelle Magique.

Trust Me EP (2017) será lançado no dia 13/01 via Smalltown Supersound.

 

Mr. Tophat – Right Time (Feat. Robyn)

Continue Reading "Mr. Tophat: “Right Time” (Feat. Robyn)"

0000deksp

Nos dias 4 e 5 de fevereiro de 2017, a cidade de São Paulo vai sediar o festival holandês de música eletrônica Dekmantel, evento que acontece pela primeira vez fora de seu país de origem. Desde de 2013, a produtora e gravadora holandesa resolveu expandir seus horizontes e começou a realizar o Dekmantel Festival em Amsterdã, que é um dos mais badalados eventos do verão europeu, cheio de artistas criativos e conceituais.

O Dekmantel Festival se estabeleceu não somente como um festival de música eletrônica sem paralelos na Europa, mas também como uma organização apreciada por sua paixão profunda e genuína pela música dançante underground. Agora escolheram o Brasil e a cidade paulistana para produzir uma edição super especial, com nomes de destaque da cena como Nicolas Jaar, Jeff Mills, Nina Kraviz, John Talabot, Ben UFO, Joy Orbison, Palms Trax, toda a turma do selo e mais alguns brasileiros de qualidade.

Serão dois ambientes, um diurno no Jockey Club de São Paulo e um noturno na Fabriketa, local que abriga diversas festas na cidade, localizado na região do Brás, local famoso pelo comércio popular e âmbitos industriais. Os artistas divulgados até o momento, são apenas da programação durante o dia. Em breve serão divulgados os DJs e produtores, do que parece ser um after party do festival, durante as noites. A produção é feita em parceria com o coletivo Gop Tun e terá ingressos a venda com valores entre 250,00 e 800,00 reais, com diversos lotes e direito a meia-entrada.

Continue Reading "Dekmantel Festival: São Paulo 2017"

. Dona de um dos melhores (e menos lembrados) discos lançados no último ano, a cantora e produtora norte-americana ABRA está de volta com um novo trabalho de estúdio. Intitulado PRINCESS EP (2016), o registro conta com seis composições inéditas, sendo uma delas Big Boy, parceria com a jovem cantora Tommy Genesis. Em CryBaby, canção escolhida para apresentar o trabalho, umas extensão do mesmo material anteriormente entregue no álbumROSE (2015). Batidas secas, sintetizadores contidos e a voz forte da cantora, flutuando entre os clássicos do R&B-Soul-House do final dos…Continue Reading “ABRA: “CryBaby” (VÍDEO)”

O selo Winter Club Records, interessante e criativo selo musical, baseado em Campinas, lança sua segunda compilação. WCR Vol.2 explora o label Winter Club, trazendo uma mistura tropical com sons que variam do Future Funk ao Trap. Com grooves sólidos, synths e batidas variadas. O segundo volume é mais variado e excêntrico, exibe uma sonoridade orientada à pista, mas que pode ser consumida no conforto de um sofá ou dentro do carro no transito, enquanto você ocupa a mente. A coletânea conta com os donos…Continue Reading “Winter Club Records: “WCR Comp Vol.2””

A cantora Azealia Banks vem ao Brasil mais uma vez, para apresentação única na Audio Club, neste domingo, dia 12 de junho, a partir das 19h30, com turnê do álbum Broke with expansive taste. Depois de tanta polêmica e brigas pela internet, a musa faz seu segundo show em São Paulo, trazendo um show performático e com mais experiência. Muito conhecida por nossos leitores e por usar em suas músicas, batidas de produtores como Lone e Machinedrum, famosa não apenas por seu rap, mas também…Continue Reading “Azealia Banks: Show São Paulo”

Artista: Leon Vynehall
Gênero: Electronic, Deep House, Alternative
Acesse: https://soundcloud.com/vynehall

 

Claustrofóbico e ao mesmo tempo hipnótico. Assim pode ser definido o trabalho de Leon Vynehall em Music for the Uninvited. Um dos principais exemplares da recente safra da eletrônica inglesa, o registro entregue ao público em 2014 está longe de fixar um padrão dentro da música assinada pelo produtor de Pembury. Em Rojus (2016, Running Back), segundo e mais recente registro de inéditas de Vynehall, um novo conjunto de temas e referências a serem exploradas pelo público.

Lançado com o subtítulo de Designed To Dance – “projetado para a dança“, em português -, o álbum de emanações tropicais parece seguir um caminho completamente distinto em relação ao material entregue há dois anos pelo produtor. Do canto dos pássaros em Kiburu’s, passando pelas vozes carregadas de erotismo em Beau Sovereign e Blush, Vynehall convida o ouvinte provar de sensações que rompem completamente com o som acinzentado de Music for the Uninvited.

Colorido, um verdadeiro paraíso tropical, Rojus se apresenta ao público como uma delicada selva de nunces, vozes e texturas eletrônicas. Música de abertura do disco, Beyond This… colide sintetizadores de maneira essencialmente climática, como a passagem para esse mundo de experiências ora dançantes, ora sensuais. Uma espécie de separação entre o conceito anteriormente explorado em faixas como It’s Just (House of Dupree), Goodthing e todo o material do disco anterior.

De forma particular, Vynehall mergulha no mesmo universo de outros produtores europeus como Lindstrøm, Prins Tomas e John Talabot, produzindo um som tão leve, quanto moldado para as pistas. Basta observar a forma como Paradisea e Wahness detalham batidas e bases com delicadeza, cercando o ouvinte a cada novo movimento. Mesmo Blush, talvez a composição mais “enérgica” da obra, em nenhum momento ultrapassa a base atmosférica que orienta o trabalho.

Continue Reading "Disco: “Rojus”, Leon Vynehall"