Tag Archives: Impersonator

Majical Cloudz: “Savage”

Majical Cloudz

.

Segundo registro em estúdio da dupla canadense Majical Cloudz, Impersonator, infelizmente, acabou de fora da nossa lista dos 50 Melhores Discos Internacionais de 2013. Todavia, a composição melancólica que rege a obra, bem como os arranjos minimalistas assinados por Devon Welsh tornam o disco um trabalho que merece ser visitado – diversas vezes. A boa forma do registro vai além de suas faixas, algo que Savage, mais novo single da banda, trouxe como uma natural continuação do disco. Conduzida pelo manuseio dos teclados e a voz presente de Welsh, a canção garante ao ouvinte pouco mais de três minutos de puro sofrimento, sustentando nas memórias recentes de seu criador um estágio constante de amor e desespero. Contando com a direção do próprio músico, a canção aparece agora transformada em clipe, que com apenas um caderno e uma caneta reforça todo o sentimento em torno da canção.

.


Majical Cloudz – Savage

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,

Majical Cloudz: “Savage”

Majical Cloudz

.

Devon Welsh e Matthew Otto parecem pouco interessados em se distanciar da zona de conforto imposta no amargo Impersonator (2013), segunda e mais recente obra do Majical Cloudz. Exemplo atento disso está na construção de Savage, novo single da dupla e canção que bem poderia alimentar o ambiente doloroso encontrado pelos norte-americanos no jogo de lembranças sombrias que rege liricamente toda a obra. Arquitetada dentro da estética tímida de sintetizadores e a completa ausência de percussão, a nova faixa traduz nos sentimentos e vozes de Welsh todo o princípio do duo, que mais uma vez arrasta o ouvinte para um cenário de pós-relacionamento completamente destruído pela saudade e todas as demais sensações (ruins) que a definem. Lançada apenas em formato digital, a canção mais parece um complemento ao disco, um dos melhores do ano.

.


Majical Cloudz – Savage

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , ,

Majical Cloudz: “Childhood’s End” (CFCF Remix)

Majical Cloudz

.

Na lista dos grandes lançamentos de 2013, Childhood’s End do Majical Cloudz trouxe a melancolia da banda canadense a um novo patamar. É como se toda a melancolia de Devon Welsh fosse concentrada em uma só composição, resultado expandido por conta dos bem empregados vocais. Agora a faixa, uma das composições que alimentam o álbum Impersonator, aparece levemente reformulada, completa pelos teclados do conterrâneo de Welsh, Michael Silver, do CFCF. Utilizando da mesma carga de sintetizadores empregados em Outside, o músico mantém a mesma condução da faixa original, garantindo formas, músculos e toda uma nova arquitetura capaz de ampliar o sentimento amargo que se derrama sobre ela.

.

Majical Cloudz – Childhood’s End (CFCF Remix)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , ,

Disco: “Impersonator”, Majical Cloudz

Majical Cloudz
Indie/Alternative/Singer-Songwriter
https://www.facebook.com/MajicalCloudz

 

Por: Cleber Facchi

Majical Cloudz

Lançado há quase dois anos, II (2011), registro de estreia do Majical Cloudz passou praticamente despercebido pelo público e imprensa. Ouvintes que talvez (com razão) não tiveram tempo e expectativas para o minimalismo sofredor que angustiava a obra do canadense Devon Welsh. Nítido projeto de descoberta, cada instante das 15 composições que abastecem o disco revelam uma singularidade no argumento do compositor, que ao transportar aspectos demasiado particulares de seu próprio sofrimento parecia se isolar em um mundo lírico de forte apelo claustrofóbico e difícil aproximação.

O registro, entretanto, acabou chamando a atenção de alguns ouvintes, produtores e outros artistas como a própria Grimes, que acabou convidando o conterrâneo para colaborar com construção de Nightmusic, uma das faixas que recheiam o bem estabelecido Visions (2012). Mais do que isso, com o lançamento de II Welsh atraiu os ouvidos do tecladista e produtor Matthew Otto, parceiro do músico e o grande responsável pelos rumos que a (agora) banda assumiu em meados do último ano. Assim, a partir de Turns Turns Turns EP, lançado em dezembro de 2012 o Majical Cloudz deixou de ser um produto individual da mente de Devon para assumir um propósito – ainda que controlado – de coletivo.

Mesmo que os rumos sejam outros, ao pisar no terreno doloroso de Impersonator (2013, Matador), cada verso exposto na obra se aproxima diretamente da melancolia individual de seu realizador. A diferença está no fato de que Welsh parece livre de termos próprios, tratando de elementos marcados pela depressão como canções de acesso universal, capazes de atrair os mais diversos públicos. Dessa forma, o novo álbum atende uma necessidade típica de qualquer registro que esteja naturalmente sustentado na dor, fragmentando versos e sons dentro de uma medida que parece manifestar liricamente o universo do próprio ouvinte.


Como parecia anunciado na construção do último EP, o novo álbum trata dos vocais do canadense como o principal elemento sonoro de toda a obra. Tão logo a faixa-título tem início, são as vozes de Welsh que chamam a atenção e prendem o ouvinte, resumindo um nivelamento que delimita com propriedade cada música do disco. Dançando em uma medida que vai de Ian Curtis à Matt Berninger, o cantor foge à regra, carregado na dramaticidade um elemento fundamental para que Childhood’’s End, Bugs Don’’t Buzz e outras faixas extremamente dolorosas da obra cresçam com primor. É quase possível afirmar que se trilhasse a obra solitário, a capella e desprovido de instrumentos, a voz de Devon teria peso suficiente para alimentar a obra e impressionar. Continue reading

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Majical Cloudz: “Bugs Don’t Buzz”

Majical Cloudz

.

Impersonator, mais novo registro em estúdio do Majical Cloudz, é um trabalho que desde o princípio foi apresentado como uma das grandes obras de 2013 – mesmo meses antes de seu lançamento. Com pistas sendo reveladas desde o lançamento de Turns Turns Turns EP, no último ano, o mais novo trabalho de Devon Welsh alcança um novo ponto de transformação com a chegada da dolorosíssima Bugs Don’t Buzz. Construída em cima de bases de piano e voz, a canção prossegue com a sensibilidade esbanjada em Childhood’s End, lidando com confissões experimentais em uma medida de som que muito se aproxima de Depeche Mode e outros ícones dos anos 1980. Melancólica, a canção está no registro anunciado para 21 de Maio.

.

Majical Cloudz – Bugs Don’t Buzz

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , ,

Majical Cloudz: “Childhood’s End”

Majical Cloudz

.

Majical Cloudz

.

A melancolia parece ser o principal elemento na nova fase de Devon Welsh e do Majical Cloudz. Depois da sequência de bons lançamentos que praticamente o apresentaram no último ano com Turns Turns Turns EP, o canadense faz de Childhood’s End uma chamada para o aguardado primeiro álbum, Impersonator. Previsto para o dia 21 de Maio, o álbum deve aprimorar a relação do músico com os sintetizadores, marca que vem decidindo os rumos do artista desde as primeiras canções. Para a divulgação do ainda inédito disco e primeiro single do trabalho, Welsh traz a direção de Emily Kai Bock, utilizando da atuação de Kenneth Welsh (responsável pelo assustador Windom Earle de Twin Peaks) um complemento para a obra.

.


Majical Cloudz – Childhood’s End

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , ,

Majical Cloudz: “Childhood’s End”

Majical Cloudz

.

Devon Welsh vive uma boa fase em sua carreira. Depois de apresentar uma série de boas composições no final de 2012, Turns Turns Turns entre elas, o cantor e compositor canadense anuncia para o final de maio a chegada de Impersonator, primeiro álbum do Majocal Cloudz. Sempre acomodado sintetizadores etéreos, vozes carregadas pelo eco e um clima intimista que beira o sorumbático, o músico e o atual parceiro de banda apresentam agora Childhood’s End, sequência dolorosa de tudo o que vinham desenvolvendo desde o último ano. Com ares de Depeche Mode, mas sem se desligar do que atualmente conduz a música experimental canadense, o duo desmancha uma trama de sons e batidas comportadas, deixando para os vocais de Welsh a capacidade de emocionar em poucos segundos.

.

Majical Cloudz – Childhood’s End

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , ,