Tag Archives: Indie

Blue Hawaii: “Agor Edits Mixtape”

.

Raphaelle Standell não teve tempo para descanso nos últimos meses. Em turnê para a divulgação do álbum Flourish // Perish (2013), segundo registro em estúdio ao lado dos parceiros do Braids, a musicista canadense percorreu grande parte da América do Norte e Europa, reservando o (precioso) tempo livre para se aproximar de outros projetos, vide a delicada parceria com o produtor britânico Jon Hopkins em Form By Firelight. Mas e o trabalho com o Blue Hawaii?

Com o inevitável distanciamento de Standell, passada a divulgação do debut Untogether (2013), todos os esforços do projeto acabaram nas mãos de Alex “Agor” Cowan, essência da recém-lançada mixtape Agor Edits (2014). Em meio a pequenas adaptações de músicas lançadas pelo casal desde o começo da parceria, em 2010, Cowan aos  poucos ultrapassa a zona de conforto do Blue Hawaii, reforçando as bases eletrônicas para incorporar elementos do Hip-Hop e Balearic Beat.

Disponível para download gratuito, o material ainda conta com All Of My Heart, composição inédita da dupla.

.

Blue Hawaii – Agor Edits Mixtape

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , ,

Supercordas: “Sobre o Amor e Pedras”

.

Longe de repetir o longo hiato de seis anos que separa o clássico Seres Verdes Ao Redor (2006) de A Mágica Deriva Dos Elefantes (2012), a banda carioca Supercordas reserva para 2015 a chegada do terceiro álbum de inéditas. Em novo selo, o grupo formado em 2003, se despede da Midsummer Madness para integrar o catálogo da Balaclava Records, casa de Holger, Séculos Apaixonados, Câmera e outros responsáveis por alguns dos melhores registros de 2014. Antes mesmo de entrar em estúdio, uma novidade: a inédita Sobre o Amor e Pedras.

Possivelmente uma das canções mais acessíveis da banda, a faixa de ritmo dançante e versos fáceis aos poucos transporta o coletivo para um cenário quase inédito, flertando com temas típicos do Tame Impala em Lonerism (2012), além de visitar o último registro solo do vocalista Bonifrate, Museu de Arte Moderna (2013). Sobre o Amor e Pedras conta com download gratuito no site da Balaclava. Acima o clipe da canção, trabalho dirigido por Giuliano Gerbasi.

.

Supercordas – Sobre o Amor e Pedras

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , ,

Diplo, Edward Droste & Rostam Batmanglij: “Long Way Home”

.

Em novembro, Diplo e DJ Dahi assinaram a produção da faixa Stand For, um dos trabalhos mais recentes apresentados pelo rapper norte-americano Ty Dolla $ign. Aproveitando do material lançado pela dupla de produtores, os parceiros Edward Droste (do Grizzly Bear) e Rostam Batmanglij (do Vampire Weekend) resolveram brincar com a base da canção, acrescentando uma dose extra de experimento instrumentais e versos que flertam com o pop para desenvolver a curiosa Long Way Home.

Sem necessariamente fugir da versão original da música, Droste e Batmanglij trazem de volta toda a ambientação colorida testada em LP (2009), registro de estreia do Discovery, projeto paralelo do tecladista do Vampire Weekend em parceria com Wes Miles, da banda Ra Ra Riot. Mesmo divertida, a (curta) colaboração está longe de indicar um futuro registro assinado entre os dois músicos. O último álbum do Vampire Weekend foi o ótimo Modern Vampires of the City, de 2013, enquanto o último disco do Grizzly Bear foi o excelente Shields, em 2012.

.


Diplo, Ed Droste, & Rostam Batmanglij – “Long Way Home”

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , ,

Jonny Greenwood, Gaz Coombes & Dany Goffey: “Spooks” (Feat. Joanna Newsom)

.

Em entrevista recente ao site Dazed Digital, Joanna Newsom afirmou que vem trabalhando em um novo projeto de estúdio, o primeiro desde a chegada de Have One on Me, de 2010. Parte da influência para o “registro” vem da própria participação da cantora no recente filme de Paul Thomas AndersonInherent Vice (2014), trabalho onde desempenha o papel de narradora da película e se diz tocada pelo constante uso da expressão “violação dos direitos civis”, talvez mote para um novo registro da artista – previsto para o próximo ano.

Enquanto nenhuma informação concreta sobre o trabalho foi liberada, pelo menos é possível se contentar com a passagem da artista em Spooks, uma das canções que integram a trilha sonora de Inherent Vice e faixa dividida entre Jonny Greenwood, Gaz Coombes (Supergress) e Dany Goffey. Segundo informações do próprio Greenwood, esta é a primeira composição do Radiohead desde o lançamento de The King Of Limbs, em 2011, porém, acabou abandonada pelos próprios parceiros de banda, Colin Greenwood, Ed O’Brien, Philip Selway e Thom York, responsáveis pela versão original da música. (Via Stereogum)

.

Jonny Greenwood, Gaz Coombes & Dany Goffey – Spooks (Feat. Joanna Newsom)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , , , , , , ,

Belle & Sebastian: “Nobody’s Empire”

.

Perto de completar os 20 anos de carreira, Stuart Murdoch e os parceiros do Belle & Sebastian continuam a promover o mesmo som melódico e assertivo lançado nos inaugurais Tigermilk (1996) e If You’re Feeling Sinister (1996). Com Girls in Peacetime Want to Dance (2015), o nono registro em estúdio, previsto para estrear no dia 19 de janeiro do próximo ano, o coletivo de Glasgow transforma a recém-lançada Nobody’s Empire em uma ponte para a boa fase na década de 1990 e a sequência de boas obras desenvolvidas desde a chegada de Dear Catastrophe Waitress (2003).

Faixa de abertura do novo disco, a delicada criação parece mergulhar em um cenário distinto em relação ao material “dançante” anteriormente exposto no single The Party Line. Com versos confessionais que atravessam a infância do próprio vocalista, a faixa aos poucos estabelece no vídeo dirigido entre Blair Young e Murdoch uma diálogo com a capa do registro. Produzido por Ben H. Allen (Animal Collective, Washed Out) Girls in Peacetime Want to Dance conta com distribuição pelo selo Matador.

.

Belle & Sebastian – Nobody’s Empire

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , ,

Of Montreal: “Bassem Sabry”

.

Aureate Gloom (2015), este é o nome do 13º álbum de estúdio da banda norte-americana Of Montreal. Depois de mergulhar na psicodelia dos anos 1960 e temas do Alt. Country para produzir o ótimo Lousy with Sylvianbriar, de 2013, Kevin Barnes e os parceiros de banda seguem em busca de um novo cenário e conceitos a serem explorados em estúdio. Com Bassem Sabry, primeiro single do novo trabalho em mãos, não é difícil perceber a direção apontada pelo gigante coletivo e as principais influências para o projeto de inéditas.

Visitando o final da década de 1970, o grupo parece brincar com os mesmos conceitos testados por David Bowie pós-Berlim, algo explícito no uso das guitarras e posicionamento das vozes, sempre íntimas de obras como Lodger (1979) e Scary Monsters (and Super Creeps) (1980). Além da nova composição, a banda de Athens, Geórgia reserva outras nove canções inéditas, tendo o registro distribuído pela Polyvinyl e lançamento previsto para três de março de 2015.

.

Of Montreal  – Bassem Sabry

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , ,

Twin Shadow: “Turn Me Up”

.

George Lewis Jr. passou o ano de 2014 apresentando uma série de composições avulsas – como To The Top -, versões para o trabalho de grandes artistas – de Bruce Springsteen a U2 -, além de faixas assinadas em parceria com outros produtores – caso de Lost You, com a dupla Zeds Dead. Entretanto, quem esperava por novo álbum de estúdio do cantor norte-americano não teve o desejo realizado. Até agora. Como uma pequena mostra do material que deve aparecer em 2015, Jr. revela ao público a inédita Turn Me Up, uma espécie de extensão (ou sequência) do som incorporado até o último trabalho do músico, Confess (2012).

Em direção aos R&B dos anos 1990, Twin Shadow perfuma todo o ambiente da canção com uma dose extra de melancolia e romantismo exagerado, esbarrando involuntariamente em um material similar ao encontrado no último disco de Drake ou mesmo nos primeiros trabalhos de The Weeknd. Agora protegido pelo selo Warner Bros., Lewis deve apresentar o novo disco ainda no primeiro semestre de 2015, reservando algumas novidades ao longo da recém-anunciada turnê pelos Estados Unidos.

AtualizaçãoTurn Me Up é parte do terceiro álbum solo de Twin Shadow, Eclipse (2015), trabalho que será lançado no dia 17 de março do próximo ano. Abaixo, além da canção, você encontra o clipe dirigido por Alex Turvey.

.

Twin Shadow – Turn Me Up

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , ,

Chromatics: “Closer To Gray” / Johnny Jewel: “The Other Side Of Midnight”

.

Depois de despejar uma série de composições inéditas, versões alternativas para faixas já conhecidas e covers com o trabalho de diferentes artistas, Johnny Jewel resolveu não perder mais tempo e anunciou a chegada de um novo álbum de inéditas do Chromatics. Intitulado Dear Tommy, o registro chega ao público nos primeiros meses de 2015 – em tempo para o dia dos namorados, 14 de fevereiro nos Estados Unidos, disse o produtor. Ainda que o intervalo seja curto, enquanto o sucessor de Kill For Love (2014) não é apresentado ao público, Jewel apresentou mais duas criações inéditas.

A primeira delas, Closer To Gray, uma composição inédita do Chromatics, mas que parece seguir a mesma atmosfera incorporada ao trabalho de 2012 – vide o aproveitamento dos sintetizadores e guitarras. Já a segunda, The Other Side Of Midnight, Jewel soluciona individualmente uma peça de 31 minutos de duração e sete movimentos ambientais. Trilha sonora para um filme fictício  – acima, o cartaz de apresentação -, a extensa canção replica os mesmos conceitos lançados com o Symmetry, outro projeto do músico.

.

Chromatics – Closer To Gray

.

Johnny Jewel – The Other Side Of Midnight

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , , , ,

Perfume Genius: “Fool”

.

Mike Hadreas é um especialista em brincar com os contrastes. Desde o primeiro álbum como Perfume Genius, Learning (2010), o enquadramento sutil dos arranjos segue em oposição ao lirismo grandioso, quase cênico, incorporado em cada verso. Não diferente é a estrutura abordada em Put Your Back N 2 It, obra entregue dois anos mais tarde e uma espécie de extensão (ainda mais) dolorosa do ambiente construído no disco de estreia. Contudo, ao abrir as cortinas do terceiro álbum da carreira, Too Bright (2014, Matador), o compositor revela ao ouvinte uma série de elementos surpresa.

Imenso palco iluminado pelo experimento, o presente registro é uma obra que se expande grandiosa, seduzindo com naturalidade o espectador, sem elementos opositivos. Ainda que marcado por sóbrios instantes de minimalismo, referências típicas do músico, grande parte das canções surgem de forma intensa, “brilhantes” e espalhafatosas,  fazendo valer o título do álbum. Mais uma vez acompanhado pelo produtor Ali Chant e Adrian Utley, do Portishead – responsável pelos sintetizadores do disco -, Hadreas soluciona uma obra em que arranjos e temas funcionam paralelamente, tratando na fluidez dos elementos uma espécie de espetáculo triste. Leia a resenha completa.

Seguindo a trilha dos últimos vídeos com a diretora Charlotte Rutherford, agora Hadreas apresente o clipe (surreal) da música Fool.

.

Perfume Genius – Fool

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , ,

JMSN: “JMSN (The Blue Album)”

.

Interessado no uso de arranjos instrumentais complexos e bases eletrônicas minimalistas, Christian Berishaj parece incorporar uma sonoridade diferente com o lançamento do novo álbum à frente do JMSN. Apelidado “The Blue Album”, o trabalho expande lentamente não apenas a estrutura musical de todas as 14 canções presentes no registros, mas principalmente a voz do artista, tão próximo de Justin Timberlake no ótimo The 20/20 Experience (2012), como ambientado aos primeiros anos em estúdio e faixas densas como The One.

Além da pop Addicted, apresentada há poucos dias, JMSN reserva uma sequência de faixas tão comerciais quanto complexas, caso de Need U, Street Sweaper e demais composições orientadas pela melancolia do compositor. Com lançamento físico pelo selo n WhiteRoom, por onde Berishaj apresentou os últimos trabalhos, “The Blue Album” pode ser apreciado na íntegra no player logo abaixo

.


JMSN – JMSN (The Blue Album)

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Google Plus
Tagged , , , , , , ,