Artista: Stormzy
Gênero: Hip-Hop, Grime, Rap
Acesse: https://www.facebook.com/stormzyofficial/

 

Um dia após o lançamento de Gang Signs & Prayer (2017, Merky), em 25 de fevereiro, Austin Darbo, editor sênior do Spotify, fez uma inusitada publicação em sua conta Twitter: “Eu nunca vi nada assim. Todas as músicas do [primeiro] álbum de Stormy estão no Top 50 do Spotify. Estou sem palavras”. E não poderia ser diferente. Da abertura do disco, na minimalista First Things First, passando pela coleção de rimas e beats que se espalham ao longo da obra, cada fragmento do trabalho parece pensado de forma a atrair a atenção do público.

Autointitulado “uma criança do grime”, como resumiu em entrevista, Michael Omari, verdadeiro nome do rapper, passou os últimos anos se revezando em uma série de registros independentes e trabalhos assinados em parceria com diferentes representantes do Hip-Hop, pop e R&B. Composições como Shape of You, parceria recente com o conterrâneo Ed Sheeran, Ambition, da cantora Raye, além de uma série de remixes e rimas espalhadas em uma variedade de obras recentes.

Toda essa pluralidade de ideias, personagens e referências acaba se refletindo na forma como Stormzy e o produtor Fraser T Smith (Adele, Katy B) detalham cada uma das 16 composições de Gang Signs & Prayer. Recortes instrumentais, poéticos e visuais que começam na capa do álbum, uma interpretação sombria da Santa Ceia, de Leonardo da Vinci, passa pela rica tapeçaria orquestral e cresce em cada sample dissolvido pela obra. Retalhos, como Intro (Like Velvet), parte do primeiro álbum da cantora NAO, For All We Know (2016), ou mesmo versos que se conectam diretamente ao trabalho de outros artistas.

Claramente influenciado pelo trabalho de Kanye West, artista que convidou o rapper a participar da intensa performance de All Day, durante o BRIT Awards 2015, Stormzy se transforma no grande protagonista da própria obra. Canções marcadas por relacionamentos conturbados, caso de Cigarettes & Cush, parceria com Kehlani, ou mesmo versos centrados no crescimento do próprio artista, vide Big for Your Boots, música que catapultou o rapper para o topo das principais paradas de sucesso.

Continue Reading "Resenha: “Gang Signs & Prayer”, Stormzy"

Artista: Kehlani
Gênero: R&B, Pop, Soul
Acesse: http://kehlanimusic.com/sweetsexysavage/

 

SweetSexySavage. Kehlani não poderia ter pensado em um título melhor para o primeiro álbum de estúdio. Produzido em um intervalo de quase dois anos, o sucessor da mixtape You Should Be Here, de 2015, indica um claro amadurecimento em relação ao trabalho produzido pela cantora norte-americana. Batidas e versos que se dividem entre a sexualidade, o romantismo doentio e instantes de profunda melancolia, fazendo do disco um curioso passeio pela mente e conflitos da própria artista.

Claramente influenciado pelo período de recuperação da cantora — em meados de 2016, Kehlani foi internada após uma tentativa de suicídio —, SweetSexySavage abre em meio a um pedido de desculpas da cantora (“Meus pêsames a quem me perdeu”) e até citações religiosas (“Sinto muito por você ter perdido o Deus em mim”). Fragmentos da alma atormentada da artista, sempre honesta e sensível em cada uma das 17 composições que preenchem o disco.

Longe de parecer um registro sufocado pelo caos que tomou conta da vida de Kehlani nos últimos meses, a estreia da cantora encanta pelo cuidado na produção e força dos versos. O romantismo exagerado em Undercover (“De um jeito ou de outro eu vou amar você”), conflitos amorosos em Distraction (“Eu preciso que você não queira pertencer a mim”), a força dos próprios sentimentos exaltados em CRZY (“Tudo o que faço, faço com paixão”).

Assim como nas canções de You Should Be Here, Kehlani é a grande protagonista da própria obra. Entre poemas marcados por temas intimistas, a cantora acaba estreitando a relação com o ouvinte, convidado a reviver musicalmente diversas experiências sentimentais da artista. Um bom exemplo disso está em Do U Dirty, composição que se perde em meio a delírios e conflitos recentes da cantora, ou mesmo In My Feelings, música que explode em meio a versos marcados por um relacionamento obsessivo.

Continue Reading "Resenha: “SweetSexySavage”, Kehlani"

 

As últimas semanas têm sido bastante corridas para Kehlani. Próxima de lançar o primeiro álbum de estúdio da carreira, SweetSexySavage (2017), a cantora e produtora norte-americana segue com a divulgação de uma sequência de ótimos singles. Na recente seleção apresentada pela artista, músicas como a pegajosa Undercover, além de outras como CRZY, Distraction e Advice, músicas sempre íntimas do R&B dos anos 1990/2000.

Na trilha romântica dos últimos singles, Do U Dirty reflete todo o cuidado de Kehlani na construção dos versos e batidas. De forma lenta, porém, sedutora, Kehlani abre o próprio coração, esbarra em temas intimistas e clama pelo amor. Nos arranjos da canção, o uso contido de sintetizadores e samples atmosféricos, como se a rapper bebesse do mesmo som produzido por artistas como Tinashe, Ciara e outros nomes de peso do gênero.

SweetSexySavage (2017) será lançado no dia 27/01 via Atlantic.

 

Kehlani – Do U Dirty

Continue Reading "Kehlani: “D U Dirty”"

 

Com uma boa mixtape em mãos – You Should Be Here (2015) –, além de um curto repertório de faixas e colaborações com diferentes artistas, a californiana Kehlani reserva para o final de janeiro a chegada do primeiro álbum em carreira solo. Intitulado SweetSexySavage (2017), o registro já teve parte de suas 17 faixas apresentadas ao público, caso de Advice, o hit Distraction e, a mais recente delas, a ótima Undercover, mais recente single da cantora.

Íntima do mesmo pop/R&B explorado por Tinashe no excelente Aquarius, de 2014, a nova faixa mostra Kehlani cada vez mais íntima do grande público, efeito da letra pegajosa e base que parece feita para grudar na cabeça do ouvinte logo em uma primeira audição. Repleto de segredos, SweetSexySavage é o primeiro grande trabalho da cantora, sendo apresentado pela Atlantic Records, casa de artistas como Janelle Monáe e Brunos Mars.

SweetSexySavage (2017) será lançado no dia 27/01 via Atlantic.

 

Kehlani – Undercover

Continue Reading "Kehlani: “Undercover”"

. Enquanto Surf (2015), parceria com Donnie Trumpet & The Social Experiment não é oficialmente apresentada ao público, o jeito é correr atrás de outros projetos que contam com a presença de Chance The Rapper. É o caso da recém-lançada The Way, faixa assinada em parceria entre o rapper e a cantora de Soul/R&B Kehlani, voz já conhecida em diferentes projetos da cena norte-americana, mas que acaba de lançar mais um novo registro em carreira solo, You Should Be Here (2015). Seguindo a trilha deixada por Tinashe no ótimo Aquarius,…Continue Reading “Kehlani: “The Way” (feat. Chance the Rapper)”