Artista: Thundercat
Gênero: Neo-Soul, Funk, R&B
Acesse: http://www.brainfeedersite.com/

 

De To Pimp a Butterfly (2015) e Untitled Unmastered (2016) do rapper Kendrick Lamar, passando pelo experimentalismo de The Epic (2015), álbum de estreia do saxofonista Kamasi Washington, até alcançar o trabalho de artistas como Ty Dolla $ign, Kirk Knight e Mac Miller, não são poucos os registros que contaram com a presença e interferência do versátil Stephen Bruner. Uma coleção de faixas que atravessa a obra de Erykah Badu, Vic Mensa, Childish Gambino, Flying Lotus e outros nomes de peso da música negra dos Estados Unidos.

Dono de uma bem-sucedida sequência de obras lançadas sob o título de Thundercat – The Golden Age of Apocalypse (2011), Apocalypse (2013) e The Beyond / Where the Giants Roam (2015) –, o músico californiano chega ao quarto álbum de estúdio brincando com a capacidade de dialogar com diferentes estilos e técnicas. Em Drunk (2017, Brainfeeder), cada uma das 23 faixas do disco se transforma em um objeto de destaque, conduzindo a música de Bruner para dentro de um terreno nunca antes explorado.

Melodias eletrônicas que parecem resgatadas de algum jogo de videogame em Tokyo, o R&B sombrio da psicodélica Inferno ou mesmo o som descompromissado que escapa de Bus In These Streets, música que parece pensada como a abertura de alguma série cômica dos anos 1980. Em um intervalo de 50 minutos, tempo de duração da obra, Bruner e um time seleto de colaboradores passeia pelo álbum de forma sempre curiosa, atenta, resgatando diferentes conceitos e possibilidades sem necessariamente fazer disso o estímulo para um trabalho instável.

Mesmo na estranheza de Drunk e todo o universo de possibilidades que cresce dentro de cada composição, Bruner mantém firme a proximidade entre as faixas. São variações entre o R&B/Soul da década de 1960 e o pop eletrônico que começou a crescer no final dos anos 1970. Uma mistura de ritmos temperada pelo jazz fusion, trilhas sonoras de videogame, viagens de LSD e antigos programas de TV, como se memórias da adolescência do músico servissem de base para a formação do trabalho.

Continue Reading "Resenha: “Drunk”, Thundercat"

 

Sempre prolífico, Stephen Bruner passou os últimos cinco anos se revezando em uma série de projetos de peso da música norte-americana. Clássicos recentes como To Pimp a Butterfly (2015), de Kendrick Lamar e The Epic (2015), do saxofonista Kamasi Washington. Em carreira solo, como Thundercat, um rico acervo de obras. Trabalhos como The Golden Age Of Apocalypse (2011), Apocalypse (2013) e, o mais recente deles, o mini-disco The Beyond / Where the Giants Roam (2015).

Próximo de lançar um novo (e extenso) álbum de inéditas, Drunk (2017), Bruner apresenta ao público a inédita Show You The Way. Trata-se de uma delicada viagem musical em direção ao passado. Uma atmosfera típica do Soul/R&B produzido em meados da década de 1970, mas que mantém um pé firme no presente. Em parceria com o instrumentista, os cantores Michael McDonald e Kenny Loggins, dois nomes de peso do Soft Rock dos anos 1980.

 

Drunk

01 Rabbot Ho
02 Captain Stupido
03 Uh Uh
04 Bus in These Streets
05 A Fan’s Mail (Tron Song Suite II)
06 Lava Lamp
07 Jethro
08 Day & Night
09 Show You The Way [ft. Michael McDonald and Kenny Loggins]
10 Walk on By [ft. Kendrick Lamar]
11 Blackkk
12 Tokyo
13 Jameel’s Space Ride
14 Friend Zone
15 Them Changes
16 Where I’m Going
17 Drink Dat [ft. Wiz Khalifa]
18 Inferno
19 I Am Crazy
20 3AM
21 Drunk
22 The Turn Down [ft. Pharrell]
23 DUI

Drunk (2017) será lançado no dia 24/02 via Brainfeeder.

 

Thundercat – Show You The Way (Feat. Michael McDonald & Kenny Loggins)

Continue Reading "Thundercat: “Show You The Way” (Ft. Michael McDonald & Kenny Loggins)"