. A melancolia tomou conta do último álbum da dupla Majical Cloudz, Are You Alone? (2015). Fruto de uma série de experiências turbulentas, medos e confissões amorosas que marcam a vida sentimental do cantor e compositor canadense Devon Welsh, o registro de 12 faixas  – um dos 50 melhores discos internacionais de 2015 – também é a base para o mais recente trabalho produzido pela banda, o EP de “sobras” Wait & See (2016). São cinco composições inéditas – Wait & See, Heaven, Let Me Lie, Pretty e My Heart Soaks Up Every…Continue Reading “Majical Cloudz: “Wait & See””

. Dois anos após o lançamento de Impersonator (2013), obra que apresentou oficialmente o Majical Cloudz a toda uma nova parcela de ouvintes, Devon Welsh e o parceiro Matthew Otto mais uma vez se encontram para produzir uma obra tecida pelo sofrimento. Entre casos de amor não resolvidos, confissões e dramas típicos de qualquer romântico, a dupla canadense define a base melancólica para o recém-lançado Are You Alone? (2015, Matador), terceiro registro de inéditas e obra mais acessível da banda. Livre das pinceladas existencialistas que definem…Continue Reading “Majical Cloudz: “Game Show” (VÍDEO)”

. Passada a série de reinterpretações melancólicas que vão de Radiohead (Are You Alone?) ao trabalho de veteranos como The Smiths (Silver Car Crash), em Downtown, terceiro e mais recente single do novo álbum de inéditas do Majical Cloudz, Are You Alone? (2015), Devon Welsh e o parceiro Matthew Otto provam que o sofrimento assumido como matéria-prima pela banda está longe de chegar ao fim. A diferença em relação aos últimos trabalhos assinados pela dupla? O completo romantismo e fascínio na voz de Welsh. Parcialmente livre da…Continue Reading “Majical Cloudz: “Downtown” (VÍDEO)”

. A tristeza de Deven Welsh parece longe de chegar ao fim. Passado o romântico (e mórbido) relacionamento explorado na inédita Silver Car Crash, o cantor e compositor canadense está de volta com mais uma nova e melancólica criação: Are You Alone? Faixa-título do terceiro registro de inéditas ao lado do parceiro Matthew Otto, a canção tecida por sintetizadores lentos e versos “reciclados” de Motion Picture Soundtrack, do Radiohead, surge como uma espécie de reforço para o conceito amargo que define a presente obra do Majical Cloudz. “Vinho tinto e pílulas para dormir / Você…Continue Reading “Majical Cloudz: “Are You Alone?””

. Devon Welsh e Matthew Otto conseguiram pegar muita gente de surpresa com o lançamento do obscuro Impersonator, em 2013. Um conjunto tímido de arranjos e vozes sempre minimalistas, porém, cobertos por uma forte carga de melancolia, confissão, romantismo e medo. Referências que parecem servir de estimulo para o terceiro registro em estúdio da dupla original da cidade de Montreal, Canadá, o ainda inédito Are You Alone? (2015). Escolhida para apresentar o novo projeto, Silver Car Crash confirma a maturidade e contínua depressão que envolve o trabalho da dupla. Enquanto Welsh…Continue Reading “Majical Cloudz: “Silver Car Crash””

. Devon Welsh e Matthew Otto conseguiram pegar muita gente de surpresa com o lançamento do obscuro Impersonator, em 2013. Um conjunto tímido de arranjos e vozes sempre minimalistas, porém, cobertos por uma forte carga de melancolia, confissão, romantismo e medo. Referências que parecem servir de estimulo para o terceiro registro em estúdio da dupla original da cidade de Montreal, Canadá, o ainda inédito Are You Alone? (2015). Escolhida para apresentar o novo projeto, Silver Car Crash confirma a maturidade e contínua depressão que envolve o trabalho da dupla. Enquanto Welsh…Continue Reading “Majical Cloudz: “Silver Car Crash””

. Em atuação desde o fim da última década, autor de faixas em parceria com Grimes e boas composições avulsas, Devon Welsh só apareceu de fato para o grande público no último ano, durante o lançamento de Impersonator (2013). Mais recente trabalho em estúdio do músico canadense à frente do Majical Cloudz – projeto dividido com Matthew Otto -, o álbum parece ser a direção para o som e sentimentos incorporados por músico. Como já havia revelado em Savage, composição entregue no fechamento de 2013, Welsh…Continue Reading “Majical Cloudz: “Your Eyes””

Sean Nicholas Savage
Indie/Lo-Fi/Alternative
http://www.seannicholassavage.com/

Por: Cleber Facchi

Sean Nicholas Savage

Mesmo dono de um rico catálogo de faixas avulsas e registros completos lançadas de forma “artesanal” desde a última década, Sean Nicholas Savage só foi apresentado “oficialmente” há pouquíssimos meses. Acolhido pelo selo Arbutus Records – o mesmo de Grimes, Majical Cloudz e outros nomes transformadores da cena canadense -, o dramático artista de Montreal fez de Other Life (2013) uma obra de mudança, eliminando parte do aspecto amador dos primeiros discos para soar acessível, tendência seguida com acerto em Bermuda Waterfall (2014, Arbutus), novo trabalho do cantor.

Distante do aspecto “comercial” do álbum de 2013, Savage pula as melodias semi-detalhistas de faixas como More Than I Love Myself e She Looks Like You para resgatar o toque econômico dos primeiros discos. Guiado em essência pelo uso da voz sofrida do cantor – entregue de forma duplicada, emulado os sons ecoados de um sintetizador -, o novo álbum se revela como (mais) um passeio perturbado pela temática da separação. Uma repetição honesta da fórmula assinada pelo canadense, que volta a se converter na matéria-prima do trabalho.

Longe de solucionar um álbum transgressor ou focado em estabelecer regras próprias dentro da cena recente, Savage usa do registro como uma obra que precisa apenas existir. Da mesma forma que os primeiros discos, caso de Spread Free Like A Butterfly (2009) e Movin Up In Society (2010) – todos disponíveis no site do cantor -, Bermuda Waterfall é uma simples manifestação do sofrimento acumulado de seu criador. Uma espécie de terapia particular e ao mesmo tempo compartilhada, experiência que possibilita ao músico registrar, expor e solucionar a própria depressão.

Dos vocais tímidos ao uso econômico dos arranjos, o ambiente arquitetado para o disco não assume tal enquadramento de forma aleatória. Como bem revela nas confissões de Darkness e Please Set Me Free, Bermuda Waterfall é um disco totalmente abastecido pelas experiências do cantor e dedicado ao próprio. Guiado pelo egoísmo, o músico fornece ao ouvinte um conjunto de canções específicas, faixas tratadas dentro de uma temática efêmera e que podem (ou não) serem absorvidas pelo espectador. Viver o “personagem” triste de Sean Nicholas Savage e a saga construída ao longo de cada disco é uma escolha do ouvinte – como se transformar no protagonista de um livro, filme ou qualquer outra mídia.

Continue Reading "Disco: “Bermuda Waterfall”, Sean Nicholas Savage"

. Segundo registro em estúdio da dupla canadense Majical Cloudz, Impersonator, infelizmente, acabou de fora da nossa lista dos 50 Melhores Discos Internacionais de 2013. Todavia, a composição melancólica que rege a obra, bem como os arranjos minimalistas assinados por Devon Welsh tornam o disco um trabalho que merece ser visitado – diversas vezes. A boa forma do registro vai além de suas faixas, algo que Savage, mais novo single da banda, trouxe como uma natural continuação do disco. Conduzida pelo manuseio dos teclados e…Continue Reading “Majical Cloudz: “Savage””